Sergipe abriga fábrica do sexto maior produtor de cerâmica do mundo

Fábrica Serra Azul, instalada em Nossa Senhora do Socorro, é referência em produtividade e conta com incentivos do Governo do Estado via PSDI

Localizada no Distrito Industrial de Nossa Senhora do Socorro, em Sergipe, a indústria de cerâmica Serra Azul destaca-se como a maior e mais produtiva unidade do grupo Carmelo Fior no Brasil. Instalada no estado desde 2011, a fábrica sergipana contribui significativamente para a produção de revestimentos do grupo, somando 3 milhões de metros quadrados mensais. Esta atuação é possibilitada pelo apoio do Governo de Sergipe, por meio dos incentivos fiscal e locacional concedidos através do Programa Sergipano de Desenvolvimento Industrial (PSDI), que ajuda a atrair para Sergipe os olhares do mundo.

O Brasil é reconhecidamente um grande player no mercado internacional de cerâmica, sendo o terceiro maior produtor e o sexto maior exportador, com vendas para mais de 110 países. Com a fábrica em Sergipe, o grupo Carmelo Fior destaca-se como o sexto maior produtor de pisos e revestimentos do mundo, e o maior exportador de cerâmica do Brasil. Os dados são do Ranking Top 25 dos maiores produtores mundiais de cerâmica, classificados pelo volume de produção em 2022, publicado pela revista Ceramic World Review.

“Somos um grupo que abrange quatro unidades do ramo ceramista com matriz em Cordeirópolis, em São Paulo, produzindo em média 8 milhões de metros quadrados por mês no país. A unidade em Sergipe tem a maior produção do grupo todo. Somente aqui, produzimos 3 milhões de metros quadrados mensais, o que torna esta unidade a mais produtiva do grupo e com planos de expansão dentro do estado”, explica o gerente industrial Wolber Francato.

Wolber destaca que a empresa também figura entre os maiores consumidores de gás natural do estado. Tal posição é viabilizada pela política de incentivo fiscal do Governo de Sergipe, que oferece à Serra Azul e outras empresas redução do ICMS do gás natural para uso industrial.

Incentivos e empregos

O apoio do Governo do Estado possibilita que a empresa Serra Azul registre bons resultados dentro e fora de Sergipe. O PSDI é gerenciado pela Companhia de Desenvolvimento Econômico de Sergipe (Codise), vinculada à Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia (Sedetec). O PSDI incentiva a instalação de novas indústrias e a ampliação daquelas já existentes, proporcionando a abertura de novos postos de trabalho. Atualmente, o PSDI beneficia 430 empresas que geram mais de 30 mil empregos.

A Cerâmica Serra Azul contribui para esse cenário com a geração de 400 empregos diretos. Um desses trabalhadores é o gerente de produção Paulo Lacerda, que trabalha há 17 anos no setor e acompanha todo o processo de transformação da matéria prima até o produto final. “Nesta empresa, comecei como coordenador de produção e atualmente sou o gerente de produção da fábrica. A cerâmica mudou e evoluiu e muito com o decorrer dos anos, e tende a evoluir cada vez mais”, considera Paulo.

O procurador da Serra Azul, Antônio Agnus, concorda. “Sou o maior entusiasta do PSDI. Como bom sergipano, entendo que, se não houver incentivo, a empresa não chega para se instalar e nem evolui. Eu sei da importância do PSDI e do empenho do governo em divulgar todos os benefícios do programa para que mais empresas e indústrias façam parte do portfólio industrial de Sergipe“, observa.

Processo de produção

Na indústria Serra Azul, o processo de fabricação de pisos e revestimentos cerâmicos segue etapas rigorosas, desde o estudo inicial da argila até o acabamento, para garantir a qualidade e a durabilidade dos produtos. “Iniciamos com o estudo da argila para garantir sua compatibilidade com as características desejadas no produto final. Após o estudo, tem a extração, com a posterior recuperação da área”, informa. A extração de argila, matéria prima principal da cerâmica, acontece em Sergipe mesmo, em municípios como Poço Verde, Simão Dias, Lagarto e Riachuelo.

Ainda de acordo com o gerente industrial, após o estudo, a matéria-prima é então levada para a fábrica, onde é misturada em um blend e moída para alcançar a granulometria correta. “Em seguida, o material moído passa pela prensa para conformação e depois pela esmaltação para conferir características como impermeabilidade, brilho ou antiderrapância. Após a decoração, as peças são queimadas em forno e depois esfoliadas, retificadas, embaladas e armazenadas no estoque”, descreve Wolber. Cerca de 80 variedades de produtos compõem o catálogo da marca própria Arielle.

Tecnologia e inovação

O controle de qualidade é um dos grandes focos da Serra Azul, e a tecnologia desempenha um papel crucial no processo operacional de averiguação. Um exemplo do uso dessa tecnologia é a máquina que realiza a leitura dimensional do produto, classificando-o automaticamente como material adequado ou inadequado, como explica o supervisor de manutenção na classificação da Serra Azul, Douglas de Melo.

“Com as máquinas, conseguimos monitorar nosso produto e entregar uma qualidade melhor ao cliente final. Hoje, a tecnologia é essencial na indústria. A máquina que opero, além de classificar o material, também se comunica automaticamente com a máquina seguinte, que determina em qual box o produto será colocado e qual impressão será feita nele”, detalha Douglas.

Sergipe no mercado

O presidente da Codise, Ronaldo Guimarães, destaca que o Distrito Industrial de Socorro, onde a Cerâmica Serra Azul está instalada, simboliza uma das maiores concentrações de indústrias incentivadas pelo PSDI em Sergipe. “A região é estratégica por sua proximidade com importantes rotas de entrada e saída de mercadorias no estado, como a BR 101. A disponibilidade de mão de obra e insumos é outro diferencial. Tudo isso se soma aos incentivos do PSDI, tornando a área atrativa à chegada e expansão de indústrias”, afirma.

O secretário da Sedetec, Valmor Barbosa, considera que ações como o PSDI têm possibilitado que Sergipe fortaleça sua posição no mercado brasileiro e internacional. “Com o apoio do PSDI e os incentivos oferecidos pelo programa, estamos contribuindo para fortalecer a base industrial do estado e criando novas oportunidades de emprego e renda para o povo sergipano. O volume e o dinamismo da produtividade da Cerâmica Serra Azul em Sergipe mostra que somos um estado competitivo, com grande potencial para o desenvolvimento de negócios”, conclui.

Sergipe receberá nova linha de transmissão energética

Com a implantação, prevista para abril do próximo ano, a expectativa é que o investimento beneficie os municípios de Canindé do São Francisco, Tobias Barreto e Poço Verde com geração de emprego para a região

Nesta sexta-feira, 7, o governador do Estado, Fábio Mitidieri, reuniu-se com representantes da Celeo Redes Brasil para tratar sobre a ampliação da segurança energética no estado por meio da implantação de uma nova linha de transmissão que conectará a cidade de Canindé do São Francisco ao município de Camaçari, na Bahia. A partir de abril do próximo ano, a construção gerará centenas de oportunidades de emprego nos municípios de Canindé, Tobias Barreto e Poço Verde, assim como dará continuidade aos avanços voltados à energia sustentável no estado.

A empresa arrematou o lote 6 no leilão 01/2023 realizado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) em junho de 2023. Com um investimento estimado em R$ 1,2 bilhão, a nova linha de transmissão terá uma extensão total de 714 quilômetros, sendo que 355 quilômetros passarão por território sergipano. Entre os municípios beneficiados em Sergipe estão Canindé de São Francisco, Tobias Barreto e Poço Verde. A linha terá capacidade de 500 kV.

O projeto visa expandir o sistema de transmissão da área sul da região Nordeste e do norte dos estados de Minas Gerais e Espírito Santo, atendendo à crescente demanda de energia proveniente de empreendimentos de geração renovável, como usinas eólicas e solares. Sergipe, que será contemplado com aproximadamente 30% do traçado da linha, ganhará uma infraestrutura energética mais robusta, capaz de suportar e distribuir grandes quantidades de energia limpa e sustentável.

Para Fábio, fortalecer a infraestrutura energética de Sergipe é garantir maior segurança e confiabilidade no fornecimento de energia elétrica. “Com a nova linha de transmissão, o estado estará melhor preparado para enfrentar futuros desafios energéticos e atrair novos investimentos, impulsionando o desenvolvimento econômico e social da região”. 

Mitidieri também destacou a importância da parceria com a Celeo Redes Brasil, enfatizando que a expansão da rede de transmissão é essencial para atender às necessidades crescentes do estado e contribuir para um futuro mais sustentável e inovador. “A expectativa é que as obras tenham início em breve, com previsão de conclusão nos próximos anos, consolidando Sergipe como um dos principais polos de energia renovável do Brasil.”

O investimento já está na fase de implantação e  a expectativa é que sejam gerados cerca de 400 empregos em Sergipe. “Somado a tudo isso, esse projeto também carrega a visão social e sustentável das empresas envolvidas. Quero agradecer ao Marcos e aos diretores que estão aqui conosco pela oportunidade de estar ajudando nosso estado. Através desse serviço da ampliação da linha de transmissão de energia, nós vamos poder implementar duas usinas fotovoltaicas aqui em Sergipe e, assim, gerar mais oportunidade de emprego e renda para nosso estado”.

Primeira fábrica de hidrogênio verde

Na mesma manhã, o governador Fábio também reuniu-se com os representantes do Projeto Touro Energia Limpa, Tiago Nascimento e Geraldo Soares Dias, para discutir a implantação da primeira fábrica comercializadora de hidrogênio verde no estado. A iniciativa prevê um investimento de R$ 2 bilhões para a construção de uma unidade fabril de um milhão de metros quadrados no povoado Touro, situado no município de Barra dos Coqueiros, região metropolitana de Aracaju.

O governador Fábio destacou que esta é mais uma demonstração do compromisso do Estado com a inovação e o desenvolvimento socioeconômico e sustentável sergipano. “Mais um avanço que o nosso estado conquista na geração de energia verde. Sergipe tem uma grande matriz energética e um potencial gigantesco na geração de energia limpa. Tem todas as condições climáticas necessárias que vão contribuir para gerar mais oportunidade de emprego e renda com sustentabilidade para nosso povo”, destacou.

Com previsão de início das operações em 2025, a fábrica pretende gerar 300 empregos diretos e 500 indiretos, contribuindo significativamente para o desenvolvimento da região. O diferencial da unidade será a total sustentabilidade, com a empresa Touro Energia Limpa comprometida em desenvolver as tecnologias necessárias e capacitar a mão de obra local para atender às demandas do projeto.

“Nós vamos trabalhar com o hidrogênio verde, implementando no estado essa indústria. Vamos montar também um parque industrial com vários subprodutos de hidrogênio, contando com o apoio do Estado e do governador para avançarmos nesse projeto”, disse Tiago Nascimento.

Contexto

No dia 12 de abril, gestores da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia (Sedetec) já haviam recebido os representantes da Touro Energia Limpa para discutir a viabilidade do projeto. Na ocasião, o ‘Projeto Touro’ foi apresentado detalhadamente pelo proprietário da empresa, Tiago Nascimento, e pelo administrador Geraldo Soares Dias, para o secretário Valmor Barbosa e diretores da Sedetec. A ideia também é inserir o Projeto no Programa Sergipano de Desenvolvimento Industrial (PSDI). A expectativa é que a iniciativa posicione Sergipe na vanguarda da produção de hidrogênio verde, alinhando-se às tendências globais de energia limpa e sustentável.

O secretário da Sedetec, Valmor Barbosa, pontuou as vantagens do empreendimento. “Estamos muito próximos do termoelétrica, onde tem energia farta e fácil. Também temos todos os produtos e itens necessários e todas as matrizes para a produção de energia”, afirmou.

O PSDI oferta incentivos – fiscal, locacional ou de infraestrutura – para estimular a implantação de novas indústrias. O programa é gerenciado pela Companhia de Desenvolvimento Econômico de Sergipe (Codise), vinculada à Sedetec.

“A Celeo Redes, que irá implantar a linha de transmissão de energia, inclusive, já deu entrada no requerimento para a aquisição do PSDI, para que a empresa tenha o direito ao incentivo para implantação. Assim como no projeto Touro Energia Limpa, a perspectiva da Celeo e da gestão estadual é de gerar centenas de empregos e renda para os sergipanos”, destacou o presidente da Codise, Ronaldo Guimarães.

Sedetec recebe empresa do ramo de Petróleo e Gás para tratar sobre o desenvolvimento do setor em Sergipe

Incentivo à indústria petrolífera no estado esteve em pauta durante o encontro

Na manhã desta terça-feira, 28, a Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia (Sedetec) recebeu a empresa GE Petróleo e Gás. Durante  o encontro, foram discutidos temas relevantes para o desenvolvimento do setor de petróleo e gás em Sergipe.

A reunião foi marcada pela apresentação de áreas em avaliação pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). “Fizemos uma comparação entre essas áreas em estudo e as que já estão em produção, o que nos deu uma ideia da dimensão e potencial dessas regiões”, comentou  o sócio-administrador da empresa, Thales Andrade.

Para o secretário da pasta, Valmor Barbosa, o assunto foi abordado a partir de uma visão estratégica. “Discutimos alternativas operacionais ao descomissionamento de poços em águas rasas. O objetivo é analisar possibilidades para um melhor aproveitamento de recursos no estado”, observou.

No segundo momento da reunião, foi abordado o projeto ProAção Sergipe, iniciativa da Associação Pense. O projeto visa unir pequenas e grandes empresas de Sergipe, representadas pela associação, para gerar benefícios para o quadro técnico do estado. “A ideia é que técnicos industriais de Sergipe possam se especializar na área de petróleo, estando disponíveis tanto para as grandes operadoras quanto para as médias empresas do setor”, explicou Thales.

Ainda segundo o representante da GE Petróleo e Gás, o projeto busca fortalecer a capacitação local e aumentar a competitividade dos técnicos sergipanos no mercado de petróleo, criando um ciclo virtuoso de desenvolvimento e geração de emprego no estado.

O secretário-executivo da Sedetec, Marcelo Menezes, também acompanhou o encontro.

Sergipe participa de 6º Encontro dos Brasileiros da FGV Energia nos Estados Unidos

Encontro antecede a Offshore Technology Conference – OTC em Houston, no Texas

Neste domingo, 5, uma comitiva do Governo do Estado participou da 6ª edição do Encontro de Brasileiros, promovido pelo Centro de Estudos de Energia da Fundação Getúlio Vargas (FGV Energia), em Houston, cidade do estado do Texas, nos Estados Unidos (EUA). A tradicional reunião antecede, anualmente, a Offshore Technology Conference – OTC, que visa reunir os principais líderes e personalidades da indústria de óleo e gás (O&G) no mundo. O titular da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia (Sedetec), Valmor Barbosa, lidera a comitiva e representa o governador Fábio Mitidieri durante a viagem.

O Encontro integra a agenda de Sergipe no país norte-americano e tem o propósito de estabelecer conexões entre brasileiros participantes da OTC. “O Encontro de Brasileiros é uma preparação para a OTC, onde representantes de instituições do setor e governos estaduais participam de um momento integrativo e de confraternização”, destacou o secretário da Sedetec. “Foi um momento de grande importância, onde pudemos estabelecer contatos favoráveis para o estado e nos somar a lideranças de outros estados e atores do segmento de petróleo e gás”, completou o presidente da Companhia de Desenvolvimento Econômico de Sergipe (Codise), Ronaldo Guimarães.

Comitiva sergipana

Além do secretário da Sedetec e do presidente da Codise, também integram a comitiva de Sergipe nos Estados Unidos o secretário-executivo da Sedetec, Marcelo Menezes; o diretor-presidente da Sergipe Gás (Sergas), José Matos; e o presidente da Agência Reguladora de Serviços Públicos de Sergipe (Agrese), Luiz Hamilton. No evento, o grupo sergipano esteve acompanhado do diretor da FGV Energia, Carlos Quintella, e do diretor-presidente do Instituto Brasileiro de Petróleo (IBP), Roberto Ardenghy.

OTC 2024

Durante os dias 6 a 9 de maio, a comitiva do Governo de Sergipe participará da OTC 2024, a maior feira mundial do mercado internacional de óleo e gás. O evento, que também ocorrerá em Houston, reúne profissionais do segmento energético interessados em trocar informações voltadas ao avanço do conhecimento científico e técnico de recursos offshore.

Indústria de cosméticos de Sergipe produz para todo o Brasil com incentivo do Governo do Estado

Hello Kitty, Turma da Mônica, Lucas Netto, Cia da Natureza e Milena Kids estão entre as linhas da indústria DZC com maior sucesso no mercado

Linhas diversas de cosméticos, produtos de perfumaria e de higiene pessoal são alguns dos focos da indústria sergipana DZC Cosméticos. Situada no Núcleo Industrial do bairro Santa Maria, zona sul de Aracaju, a fábrica existe desde 2003 e emprega atualmente 123 pessoas. Mensalmente, a indústria produz 800 mil itens de diversas linhas encontradas em supermercados, farmácias, lojas especializadas, atacados e distribuidoras de Sergipe e de todo Brasil. Tudo isso se tornou possível por intermédio dos incentivos fiscal e locacional ofertados pelo Governo de Sergipe.

Um dos principais efeitos da concessão de incentivo fiscal com redução do ICMS ofertado pelo Governo de Sergipe é o repasse para os produtos nas prateleiras, gerando preços mais acessíveis e mais competitividade no mercado, como destaca o presidente da indústria, Ricardo Alexandre Gois. “Por meio do apoio locacional, construímos um prédio onde separamos toda a nossa expedição da área fabril. O apoio fiscal, por sua vez, é muito importante, pois nos dá competitividade e a possibilidade de inovar nos produtos e ampliar a nossa área de atuação, sem falar na geração de emprego para o estado. Hoje, temos a capacidade de dobrar nossa produtividade, que é nossa expectativa para daqui a cinco anos”, pontuou Ricardo.

O portfólio da DZC conta com mais de 150 tipos de produtos de seis linhas: as licenciadas Hello Kitty, Turma da Mônica, Lucas Netto e Milena Kids; e as marcas próprias Cia. da Natureza, Naturiquè e Elisafer. A indústria sergipana foi a primeira no Brasil a lançar a embalagem em 3D, na linha Turma da Mônica Kids em bonecos Colecionáveis, onde as embalagens de xampus e condicionadores são moldadas no formato do corpo dos personagens. Essa inovação ganhou a colocação de bronze no Prêmio Abre de Embalagem Brasileira 2016, na categoria ‘Embalagem de Cosméticos e Cuidados Pessoais’. Além disso, DZC também foi premiada no evento Summit da Sanrio como a ‘Melhor Campanha Sazonal’ de 2023, com os produtos da Hello Kitty.

Tecnologia e inovação

Por ser uma indústria atenta às tendências de tecnologia e inovação, a DZC está implantando um novo sistema para otimizar suas operações. “Em nossa produção, cada vez mais a gente vem investindo na ampliação e modernização do maquinário. Recentemente contratamos o sistema de monitoramento da produtividade LiveMes, que fornece os indicativos de setup de máquina, ajustes, paradas, produtividade, entre outros; e também gera relatórios com gráficos em tempo real do que está acontecendo em cada máquina”, detalha o presidente da indústria DZC.

“Esse é o nosso grande diferencial: a gente controla todo o processo, desde o recebimento dos insumos, as matérias-primas, a fabricação do frasco, rótulo, o envase do produto e a expedição. Todo o processo é monitorado pela inteligência artificial desse sistema que identifica os gargalos do processo e vai dando ações para melhorar nossa eficiência enquanto indústria”, elenca o químico responsável da empresa, Diogenes Sena.

Além disso, a indústria sai na frente no mercado ao explorar novos compostos. “Lançamos os primeiros sabonetes íntimos do Brasil com água micelar, sendo o 4º mais vendido no país, e com o CBA (complexo de óleos da Amazônia). A gente busca o que há de novo no mercado, os melhores fornecedores e laboratórios do país para fazermos trocas de tecnologia. Com isso, temos moléculas inovadoras, a exemplo da linha Naturiquè, inteiramente à base de plantas, e dos produtos com nori protein, uma proteína das algas marinhas”, completa o químico.

Oportunidades e geração de emprego

Em seu primeiro emprego, o engenheiro mecânico Gabriel Santana, de 24 anos, atua como analista de planejamento e controle da produção na fábrica e comemora a oportunidade de colocar seus conhecimentos em prática. “É meu primeiro contato com a área industrial e tem sido bem bacana os aprendizados que eu estou tendo, como acompanhar o dia a dia da produção, lidar com os colaboradores diretamente, além de desenvolver diferentes aptidões”, avalia.

A operadora de máquinas Vanusia dos Santos, de 40 anos, tem dez anos de casa e conta como é trabalhar na linha de produção. “Para mim, é como se eu tivesse começado ontem, porque sempre que surge uma inovação a gente aprende novos conhecimentos. Eu gosto muito do serviço. Como eu estou à frente da linha, aprendo também um pouco de liderança, porque eu lidero uma equipe de oito pessoas. É prazeroso trabalhar com os produtos que a gente mesmo usa”, considera.

Incentivos estaduais

O Governo de Sergipe oferta incentivos fiscal, locacional e de infraestrutura para estimular a instalação e ampliação de indústrias em Sergipe, por meio do Programa Sergipano de Desenvolvimento Industrial (PSDI). O programa é conduzido pela Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia (Sedetec) e da sua vinculada Companhia de Desenvolvimento Econômico de Sergipe (Codise).

“Por intermédio do PSDI, Sergipe tem se destacado como um polo industrial em ascensão, atraindo empresas de diversos setores e contribuindo significativamente para o crescimento econômico da região”, destaca o secretário da Sedetec, Valmor Barbosa. O presidente da Codise, Ronaldo Guimarães, completa: “O Governo do Estado tem investido em infraestrutura e capacitação da mão de obra, e em ouvir as demandas do empresariado, garantindo que as empresas que se estabeleçam aqui tenham as condições necessárias para prosperar”.

Estudantes de Cedro de São João conhecem projetos desenvolvidos pela Sedetec e vinculadas

Caravana do ‘Sergipe é aqui’ aportou no município do baixo São Francisco em sua 25ª edição

Com aproximadamente seis mil habitantes, Cedro de São João é o 25º município a receber a caravana itinerante do Governo do Estado. Nesta edição, a Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico, da Ciência e Tecnologia (Sedetec) levou para o ‘Sergipe é aqui’ projetos relacionados às áreas de energia e sustentabilidade por meio do Sergipe Parque Tecnológico (SergipeTec), análises do Instituto Tecnológico e de Pesquisas do Estado de Sergipe (ITPS), além de serviços voltados para o setor empresarial, por meio da Companhia do Desenvolvimento Econômico de Sergipe (Codise).

A pesquisadora do SergipeTec Fernanda Santana detalha o que está sendo apresentado pelo parque. “Nós trouxemos uma maquete da energia eólica, representando duas torres de geração dessa energia que temos instaladas em Riachão do Dantas e Neópolis. Essas torres servirão para coletar dados anemométricos [medição da velocidade do vento] e com isso traçar o mapa eólico do estado de Sergipe. Além disso, estamos apresentando também uma maquete que mostra a energia fotovoltaica”, explicou.

Em visita aos estandes do governo no ‘Sergipe é aqui’, a estudante do 3º ano do ensino médio Maria Clara Andrade informou que já conhecia o funcionamento da geração de energia solar e eólica, mas pôde ver mais de perto, por meio das maquetes levadas pelo SergipeTec. “O que foi explicado é fundamental para a gente ter uma noção na prática, pois são energias renováveis e que ajudam o meio ambiente. Muito interessante”, pontuou.

Já o estudante do 7º ano do ensino fundamental Ítalo Santos aprendeu que o sol também pode gerar energia e elogiou a iniciativa de levar tais informações para a cidade. “As pessoas, às vezes, não têm conhecimento sobre esse tipo de coisa e é importante saber disso, pois pode até trazer economia para as pessoas”, completou.

Análises laboratoriais

O município de Cedro é conhecido pelo artesanato, pela carne do sol e pelas culturas do milho e do arroz. Por isso, o ITPS levou para esta edição do ‘Sergipe é aqui’ serviços sobre análise foliar, de água e de solo, recebendo, inclusive, amostras para análises gratuitas. “A análise de solo é de extrema importância para todas as culturas e é um dos primeiros passos para fazer o plantio, em complemento à análise foliar e da água. As análises vão dizer como está a cultura e, se necessário, como melhorar esses parâmetros”, explicou a coordenadora do Laboratório de Ensaios Inorgânicos do ITPS, Deborah Feitosa.

Governo de Sergipe debate políticas públicas para CT&I 

Conferência Estadual aconteceu nesta quarta-feira, 3 e é uma preparação para sistematizar contribuições para a conferência regional e nacional de ciência, tecnologia e inovação

Com o tema ‘Para um Brasil justo, sustentável e desenvolvido’, o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia (Sedetec), realizou nesta quarta-feira, 3, a Conferência Estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação em Sergipe. O evento contou com o apoio do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação e da Fundação de Apoio à Pesquisa e à Inovação Tecnológica de Sergipe (Fapitec/SE) e ocorreu no Hotel Sesc Atalaia, em Aracaju, objetivando debater iniciativas que fomentem o desenvolvimento científico e sustentável no estado. 

A realização da conferência também é uma preparação para sistematizar contribuições  para a Conferência Regional de Ciência, Tecnologia e Inovação que acontecerá nos dias 2 e 3 de maio, em Pernambuco e, posteriormente, para a Conferência Nacional que acontecerá entre os dias 4 e 6 de junho, em Brasília. Tais conferências irão analisar os programas e os planos da Estratégia Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação (ENCTI) 2016-2023, e os seus resultados, com vistas a propor recomendações para a elaboração da ENCTI 2024-2030, além de ações a serem executadas em longo prazo, com foco no crescimento e desenvolvimento do país. 

Durante a cerimônia de abertura, o secretário do Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia, Valmor Barbosa, pontuou que a conferência visa contribuir com sugestões sobre as políticas de desenvolvimento econômico, ciência e tecnologia sustentável. “Este evento fomenta a inovação, explora novos temas de pesquisa, fortalece as ciências básicas e transdisciplinares, e cria um ambiente favorável para que o Estado possa receber esses pesquisadores, com o grande apoio do Ministério da Ciência e Tecnologia”, disse. 

Construção coletiva

A importância de criar um espaço de diálogo e colaboração entre diferentes setores da sociedade, incluindo academia, governo, setor privado e sociedade civil, foi ressaltada pelo representante do Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação, o secretário substituto da Secretaria de Ciência e Tecnologia para Transformação Digital (SETAD), Hamilton José Mendes da Silva. “Com essas discussões a nível de Estado, a população vai recuperando a crença no poder transformador da ciência. O cidadão brasileiro precisa acreditar e ter informações que mostrem que o Brasil só se tornou uma potência, por exemplo, no setor agrícola, graças a muito investimento em ciência e tecnologia”, destacou o representante do Ministério.

Para o secretário Especial de Planejamento, Orçamento e Inovação, Júlio Filgueira, a ciência, tecnologia e inovação dizem respeito à construção de um Brasil soberano. “Falar destes temas significa falar de uma alicerce que deve constituir aquilo que pretendemos que seja a construção de um Brasil justo, sustentável e desenvolvido, como indica o tema central da conferência”, ressaltou.

O relator representante da conferência e diretor da Agência de Inovação e Transferência de Tecnologia (Agitte-SE), Antônio Martins, agradeceu o convite e frisou a importância de discutir a ciência, tecnologia, inovação e desenvolvimento social com diversos agentes envolvidos no setor. “Esperamos que consigamos avançar no modal de desenvolvimento tecnológico, social e inovação aqui do estado. Que ao fim desse dia, a gente saia com muitas propostas que possam ser encaminhadas à Conferência Nacional”, afirmou.

“A discussão começa em estados e municípios e vai sendo consolidada em níveis regionais para que depois se consolide num documento nacional. As propostas, além de serem mais ricas e mais densas, terão muito mais credibilidade e potencial de sucesso, porque as pessoas que participam estão mais próximas dos problemas”, pontuou o presidente da Fapitec/SE, Alex Garcez. 

Programação

Após a cerimônia de abertura, o evento seguiu pela manhã com as discussões sobre quatro eixos temáticos: recuperação, expansão e consolidação do Sistema Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação; reindustrialização em novas bases e apoio à inovação nas empresas; ciência, tecnologia e inovação para programas e projetos estratégicos nacionais; ciência, tecnologia e inovação para o desenvolvimento social.

Já durante o período da tarde serão apresentados os tópicos discutidos em cada eixo, além do lançamento da agenda sobre a Lei de Inovação. Esse calendário definirá as reuniões e atividades para a reformulação e aprovação da referida Lei.

Presenças

Além das instituições já citadas, o evento contou com a presença de instituições como Universidade Federal de Sergipe (UFS), Universidade Tiradentes (Unit), Instituto Federal de Sergipe (IFS), Associação Sergipana de Ciência (ASCI), Empresa Brasileira De Pesquisa Agropecuária (Embrapa), Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (Fecomércio), Federação das Indústrias/Instituto Euvaldo Lodi, Federação de Escolas de Educação (Fenen), Hub Xingó de Inovação, Inova-SE e Serviço Nacional de Aprendizagem do Comércio (Senac).

Instituições do governo além da Sedetec e Fapitec/SE também estiveram presentes, como Instituto Tecnológico e de Pesquisas do Estado de Sergipe (ITPS), Sergipe Parque Tecnológico (SergipeTec), Agência de Desenvolvimento de Sergipe (Desenvolve-SE), Companhia de Desenvolvimento Econômico de Sergipe (Codise), Empresa Sergipana de Tecnologia da Informação (Emgetis), Secretaria de Estado da Agricultura, Desenvolvimento Agrário e da Pesca (Seagri), Secretaria de Estado da Assistência Social, Inclusão e Cidadania (Seasic), Secretaria de Estado da Administração (Sead), Secretaria Especial de Planejamento, Orçamento e Inovação (Seplan), Sergipa Gás (Sergas), Secretaria de Estado do Trabalho, Emprego e Empreendedorismo (Seteem), Secretaria de Estado de Políticas para as Mulheres (SPM), Procuradoria Geral do Estado (PGE) e Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz).

Sedetec e vinculadas reúnem-se para debater o andamento de ações definidas no Planejamento Estratégico

O objetivo do encontro é assegurar o cumprimento das metas planejadas pelo Sistema Sedetec ao longo dos próximos anos

Reunião de Planejamento Estratégico Sedetec (1).jpg

Dando continuidade aos projetos, metas e ações delimitadas no Planejamento Estratégico 2023/2026, gestores da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia (Sedetec) e de suas vinculadas estiveram reunidos durante a manhã desta terça-feira, 2, na sala de reuniões da pasta, com a finalidade de acompanhar com as equipes o andamento das ações traçadas em discussões anteriores.  

Dentre os projetos abordados na reunião destacaram-se o projeto de fortalecimento do Programa Sergipano de Desenvolvimento Industrial (PSDI); o projeto de estruturação do Complexo Industrial Portuário; o projeto de fomento à inovação nas principais cadeias produtivas sergipanas; o projeto de melhoria do ambiente de negócios; assim como os projetos de implantação de política de estímulo à geração de energia, estruturação e fortalecimento do sistema estadual de ciência, tecnologia e inovação; e de implementação do hub de inovação.

O objetivo do encontro é assegurar o cumprimento das metas e ações planejadas pelo Sistema Sedetec ao longo dos próximos anos, com base no que foi delimitado para a pasta. “Estamos acompanhando o andamento dos projetos e entusiasmados. Essas reuniões são importantes para que possamos nos manter alinhados e com o mesmo propósito”, disse o secretário do Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia, Valmor Barbosa.

A presidente do Instituto Tecnológico e de Pesquisas do Estado de Sergipe (ITPS), Lúcia Calumby, destacou a reunião como bastante proveitosa. “O mais interessante é que podemos participar de forma integrada, participando das metas dos outros entes que também fazem parte da Sedetec. No planejamento, podemos visualizar os resultados desde o início, acompanhando o andamento de cada ação e traçando as metas. E já podemos constatar que houve bastante caminho andado e avanço nas metas traçadas”, afirmou.

A reunião de avaliação do planejamento estratégico foi considerada proveitosa pelo diretor de Planejamento da Sedetec, Maurício Nascimento Filho. “Juntos, tivemos a oportunidade de avaliar o comportamento das metas com base nos projetos estratégicos estabelecidos para a pasta, e nos alegramos com os resultados alcançados até aqui. À medida em que atingimos as metas planejadas, os resultados vão aparecendo e começam a impactar positivamente os diversos níveis de decisão da Sedetec e das suas vinculadas”, pontuou.

Presenças

Além do secretário Valmor Barbosa, estavam presentes na ocasião o assessor de planejamento da Sedetec; diretores e assessores de planejamento da Companhia de Desenvolvimento Econômico de Sergipe (Codise); da Fundação de Apoio à Pesquisa e à Inovação Tecnológica do estado de Sergipe (Fapitec); do ITPS; da Junta Comercial do Estado de Sergipe (Jucese); do Sergipe Parque Tecnológico (SergipeTec) e da Sergipe Gás S/A (Sergas).

Governo dialoga com empresa que construirá linhas de transmissão em Sergipe

Celeo Redes arrematou lote 6 no Leilão de Transmissão de Energia, realizado em junho de 2023, pelo MME

Nos próximos anos, Sergipe receberá novas linhas de transmissão e, com o objetivo de estreitar relações entre a Celeo Redes, que fará a construção dessas linhas, e o Governo do Estado, por intermédio da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico, da Ciência e Tecnologia (Sedetec) e da Companhia de Desenvolvimento Econômico de Sergipe (Codise), reuniu-se com a empresa na manhã desta segunda-feira, 1º.

A Celeo Redes arrematou o lote 6, ficando encarregada de construir uma linha de transmissão de 500kv que conectará a subestação de Xingó, em Sergipe, ao polo industrial de Camaçari, na Bahia. 

“Essa linha tem 355 quilômetros, e alguns municípios no estado de Sergipe serão contemplados, como por exemplo Canindé de São Francisco e Poço Verde. Nós estimamos investimentos de mais de R$ 1 bilhão, e isso gerará, ao todo, mais de 1.200 empregos no pico da obra. Sergipe está sendo contemplado com aproximadamente 30% do traçado dessa linha, e a gente espera que, uma vez realizado o licenciamento ambiental, o início das obras ocorra a partir de novembro deste ano”, explicou o diretor de Novos Investimentos da empresa, Marcelo Lima

Ainda segundo Marcelo Lima, o objetivo da empresa é que a linha esteja pronta em 2026, antecipando em quase dois anos prazo de entrega estimado pelo Ministério de Minas e Energia (MME), e objetivando prover segurança energética mais adequada para o estado de Sergipe. “Teremos canteiros de obras localizados nos estados da Bahia e em Sergipe, para que seja feita de maneira concomitante, tanto os trechos, quanto os processos de regularização fundiária e licenciamento ambiental. Temos um plano de obras dividido em trechos para que a obra ocorra de forma mais célere possível”, completou.

Durante a reunião, o secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico, da Ciência e Tecnologia, Valmor Barbosa, ressaltou o trabalho que vem sendo feito pelo governo para promover segurança energética para o estado. “Participamos de reuniões do Consórcio Nordeste e estivemos também no Ministério de Minas e Energia, tratando sobre a necessidade de novas linhas de transmissão para Sergipe. Ficamos muito satisfeitos com o encaminhamento deste projeto e aguardamos novos leilões em que Sergipe possa vir a ser beneficiado”, destacou.

O secretário ainda falou sobre ações de incentivo à geração de emprego. “Quero deixar nossa equipe à disposição da empresa e manter este diálogo aberto. A política do governo é de fomento ao emprego, e nós temos um programa muito forte aqui, que é o Primeiro Emprego, que muitas empresas têm aderido e sido parceiras para absorção de mão de obra após a capacitação dos trabalhadores”, lembrou. 

O presidente da Codise, Ronaldo Guimarães, falou sobre os incentivos estaduais ofertados pelo Programa Sergipano de Desenvolvimento Industrial (PSDI). “O PSDI é um importante instrumento de atração de investimentos, fundamental para o desenvolvimento econômico do nosso estado, geração de emprego e renda para a população sergipana”, pontuou.

Também estiveram presentes na reunião o secretário-executivo da Sedetec, Marcelo Menezes, e o diretor de Novos Negócios da Codise, Gibran Boaventura.

Governo estuda possibilidades de operações de contêineres no Terminal Marítimo Inácio Barbosa

Reunião ocorrida nesta segunda-feira, 1º, foi o pontapé inicial sobre o tema

Operações de importação e exportação foram o foco de reunião realizada nesta segunda-feira, 1º, na Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia (Sedetec), quando foram discutidas estratégias e analisados possíveis gargalos para viabilizar a operação de contêineres no Terminal Marítimo Inácio Barbosa (TMIB), localizado na Barra dos Coqueiros.

Na ocasião, o gestor da Sedetec, Valmor Barbosa, e o presidente da Companhia de Desenvolvimento Econômico de Sergipe (Codise), Ronaldo Guimarães, acompanhados do secretário-executivo da Sedetec, Marcelo Menezes, e do assessor jurídico, Daniel Fabrício, reuniram-se com o executivo da Continental Corporation e representante do Fórum Empresarial, Maurício Gonçalves.

Durante o diálogo inicial, foi discutida a possibilidade de operação, primeiramente por DTA, um processo logístico que envolve a utilização do Documento de Trânsito Aduaneiro (DTA). Por meio dessa operação, é possível o transporte de mercadorias em contêineres de um ponto de origem para um destino específico dentro do país. Assim, seria possível, por exemplo, que o TMIB recebesse containers advindos dos portos de Salvador e Maceió, para serem liberados.

“Este é um anseio antigo que o Governo do Estado e a Sedetec buscam colocar de pé e encontrar alternativas para viabilizar. A utilização do DTA permite uma movimentação mais ágil e simplificada das mercadorias, pois evita a necessidade de realizar o despacho aduaneiro completo em cada etapa do trajeto, proporcionando mais agilidade e menos custo para as empresas envolvidas”, explicou o secretário Valmor Barbosa.

Segundo Maurício Gonçalves, o objetivo do setor empresarial é identificar as oportunidades para o Estado e caminhar junto com o governo para que todos entrem na mesma linha, contribuindo para o desenvolvimento de Sergipe.

Última atualização: 2 de abril de 2024 11:13.

Pular para o conteúdo