Dando continuidade aos contatos buscando criar atrativos para investimentos em Sergipe nos campos de petróleo e gás natural, o Governo do Estado, representado pelo secretário do Desenvolvimento Econômico, da Ciência e Tecnologia (Sedetec), José Augusto Carvalho, e do assessor técnico Marcelo Menezes, estiveram no Rio de Janeiro, nesta quinta-feira, 06, participando de reunião com o diretor-geral da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), Décio Oddone.

Na pauta, constou o interesse do estado em propor a criação de mecanismo de oferta e contratação de gás para fornecimento futuro a preço competitivo, como forma de criar um forte mercado consumidor na região próxima ao Porto de Sergipe, a Usina Termelétrica (UTE),  e a Unidade de Processamento de Gás Natural (UPGN), que será construída pela Petrobras.

Também foram tratadas questões referentes ao início de produção na UTE Porto de Sergipe, além do próximo leilão da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), que está sendo aguardado com enorme expectativa pelo estado, pois poderá representar a chegada de mais uma termelétrica, e consequentemente, mais um investimento de grande porte no estado.

O secretário José Augusto Carvalho destaca todo o esforço que o governo tem realizado para oferecer um cenário promissor para a cadeia do gás natural. “Pretendemos garantir consumidores para o gás a ser produzido no estado,  evitando a realização de grandes investimentos no seu transporte, gerando receita e emprego em Sergipe”, frisa.

Na oportunidade, também destacou-se o interesse do governo em acompanhar e garantir a efetividade do processo de desinvestimento dos campos de Piranema e Piranema Sul. Os referidos campos foram colocados à venda em março de 2018, e sua produção de hidrocarbonetos tem importância estratégica para outras cadeias de valor que estão em plena estruturação no estado, a exemplo da geração termelétrica e indústria de transformação.

O assessor técnico Marcelo Menezes, destaca que a reunião foi importante também para detalhar melhor toda a questão e encontrar caminhos que atendam aos interesses do estado e alinhamento com as políticas do Governo Federal do “Novo Mercado do Gás”. “Estamos buscando criar um cenário promissor para o estado com relação a cadeia do petróleo e gás. A aproximação com a ANP nos dará diretrizes sobre as ações a serem implementadas pelo governo”, completa.

Além do presidente da ANP, Décio Oddone, participaram da reunião a superintendente adjunta de infraestrutura e movimentação da Agência, Luciana Estevão; e os assessores da diretoria, Pietro Mendes e Tathiany Moreira. Na ocasião, foi renovado o convite para que Décio Oddone participe do Simpósio de Oportunidades – Novo Cenário da Cadeia do Gás Natural em Sergipe, que será  promovido pelo Governo do Estado nos dias 04 e 05 de julho, em Aracaju.

Última atualização: 5 de setembro de 2019, 09:34

O objetivo do programa é estimular a criação de startups, a partir da geração de novas ideias, disseminando a cultura do empreendedorismo inovador em Sergipe

Promover o desenvolvimento tecnológico como base para modernização do estado. Com este foco, o governador Belivaldo Chagas lançou, nesta segunda-feira (03), o edital do Programa Nacional de Apoio à Geração de Empreendimentos Inovadores (Centelha/SE), por meio da Fundação de Apoio à Pesquisa e a Inovação Tecnológica do Estado de Sergipe (Fapitec). O objetivo do programa é estimular a criação de startups, a partir da geração de novas ideias, disseminando a cultura do empreendedorismo inovador em Sergipe.

Segundo Belivaldo, este apoio do governo representa um grande passo para criar um ambiente favorável que resulte em um processo de desenvolvimento para o surgimento de um possível polo tecnológico em Sergipe. “Sergipe entra definitivamente no mundo das startups. É uma oportunidade que o governo oferece, fruto de uma parceria também com o governo federal, para que a gente estimule, principalmente, os jovens do mundo acadêmico, a despontarem no mundo das startups. As boas ideias, inovadoras, elas são bem-vindas. Os resultados estão aparecendo mundo afora. Pequenas empresas surgem, a partir de ideias inovadoras e Sergipe terá toda a estrutura para se destacar também nessa área”, declarou.

Ciente da importância da tecnologia e inovação para o desenvolvimento da economia do estado, Belivaldo destacou ainda que o edital pode gerar iniciativas que ajudem o Estado a tornar seus serviços mais eficientes. “Utilizando da inovação podemos abrir portas para o desenvolvimento. Precisamos avançar no mundo da tecnologia, da informática, inclusive para economizar recursos e desburocratizar o Estado. A partir do momento que a gente estreita essa relação com novas ideias e com as universidades, quem ganha é a sociedade. De mãos dadas com todos os parceiros, podemos promover o progresso para ampliar os nossos serviços com qualidade e diminuir a burocracia ao entrarmos definitivamente na era digital, diminuindo também uso excessivo do papel. O processo de inovação é uma realidade no mundo como um todo, na Europa se há exemplos de países que conseguiram provocar uma economia financeira imensa na prestação de serviços, aumentando com isso, uma boa prestação de serviços à sociedade. A gente também precisa partir pra esse mundo, e Sergipe, sendo um estado pequeno, pode servir até de modelo. Nós enquanto governo do Estado, vamos apoiar essas iniciativas”, expôs.

Os recursos financeiros serão aplicados por meio de verba de subvenção econômica, bolsas e capacitações, para incentivar empreendedores a transformarem suas ideias em negócios de sucesso. O financiamento do Centelha é  proveniente de uma parceria entre o governo do Estado e o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), por meio da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep). O investimento total é de R$ 1,2 milhão, sendo R$ 900 mil provindos da Finep, e R$ 300 mil de contrapartida estadual. O edital vai contemplar até 24 startups e cada uma receberá um valor de até 52 mil, com prazo para a execução do projeto de 12 meses. O Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e o Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (Confap) e a Fundação Certi estão envolvidos no programa.

Os programas de incentivo por meio de subvenção econômica consistem em uma modalidade de apoio financeiro com aplicação de recursos públicos não reembolsáveis (que não precisam ser devolvidos). Os recursos são aplicados diretamente nas empresas, para compartilhar com elas os custos e riscos inerentes às atividades.

O Programa contribuirá para o estabelecimento da ponte entre a academia e as indústrias de Sergipe, já que muitas das ideias podem ser oriundas das universidades por meio de estudantes de cursos de graduação e de pós-graduação.

O secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia (Sedetec), José Augusto Pereira, ressaltou o papel do Estado como fomentador de políticas sólidas de desenvolvimento. “No mundo todo, grandes projetos surgiram de pequenas empresas. No Brasil, temos grandes exemplos em Santa Catarina com seu parque tecnológico. Sergipe está no caminho certo, já temos infraestrutura física pronta e os editais. Precisamos manter a aproximação com as universidades. Então, temos tudo: a mão de obra sendo formada nas universidades, o parque que pode abrigar essas empresas, e o capital para dar a “centelha” ao projeto”.

O gestor da Sedetec explicou que o investimento em tecnologia e informação é essencial em todas as áreas. “A sociedade hoje é de conhecimento. Qualquer protótipo hoje é baseado em impressora em 3D. Já na área de medicina, não se pode deixar de pensar em genética. Na computação, os data centers. Desta maneira, a gente está no caminho certo, as dificuldades econômicas são severas, mas não vamos desistir. Vamos persistir e continuar contando com o apoio da Finep que é decisivo para execução desses projetos”.

O presidente da Fapitec, José Heriberto Pinheiro, finformou que no último relatório da Confederação Nacional da Indústria, lançado pela Federação das Indústrias do Estado do Ceará, os indicadores apontam Sergipe como um dos estados que mais investem em inovação no Brasil. “Sergipe está em terceiro lugar no Nordeste, estamos praticamente empatados com o Estado da Paraíba que está em segundo e Pernambuco em primeiro. Com esses incentivos, com esses programas que estamos lançando, certamente os próximos relatórios colocará Sergipe no patamar provavelmente em segundo lugar, pelo nível de compromisso que temos. Nesse relatório, Sergipe ocupa o 17º lugar  entre os estados que mais inovam na área tecnológica aqui no Brasil, então é um dado muito importante para Sergipe que nos coloca em uma situação privilegiada, e isso não é à toa, isso em cima de muito trabalho, muita responsabilidade e muita dedicação a inovação tecnológica no estado de Sergipe”.

Como funciona

Na primeira fase do edital, os interessados deverão apresentar suas ideias de negócio à equipe de trabalho. O objetivo é verificar se a ideia é inovadora, o seu potencial de mercado e se traz benefícios para a região. Passam para a segunda fase até duzentas propostas, e os selecionados devem elaborar um projeto de empreendimento, detalhando o plano de negócio executivo, com o objetivo de demonstrar as chances de a ideia gerar um bom negócio.

A terceira fase – pela qual passam até cem das propostas – consiste no desenvolvimento de um projeto de fomento, com apresentação detalhada do orçamento e do planejamento de sua execução. Ao longo de todas as etapas são oferecidas capacitações para auxiliar o empreendedor a aprimorar sua ideia e desenvolver seu negócio.

Ao final, até vinte e quatro projetos serão contemplados, cada um com valor de até 52 mil em subvenção econômica, além de outros benefícios oferecidos por parceiros do programa. Ainda, durante seis meses, essas empresas passarão por um processo de pré-incubação com suporte e capacitação para transformar suas ideias em negócios de sucesso.

Parceiros

A Rede de Parceiros é composta por instituições de diferentes esferas, tais como empresas, governo, universidades, incubadoras, aceleradoras, comunidades de startups, associações comerciais, federações industriais, escolas técnicas, empresas juniores, parques tecnológicos, prefeituras, fundos de investimento, entre outras. Além disso, pessoas físicas também podem atuar como Agente Centelha, independente de seus vínculos institucionais, sociedade organizada e mecanismos de inovação em geral.

O Programa Centelha em Sergipe já têm parceiros de peso para auxiliar nas atividades, entre eles estão: Fapitec, Sedetec, SergipeTec, Universidade Federal de Sergipe (UFS), Universidade Tiradentes (Unit), Instituto Evaldo Lodi (IEL), Instituto Federal de Sergipe (IFS), Faculdade de Administração e Negócios de Sergipe (Fanese), Federação das Indústrias do Estado de Sergipe (FIES), Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Sergipe (Fecomércio/SE), Instituto de Pesquisa em Tecnologia e Inovação (IPTI), JRabelo Gestão da Inovação, Grupo Rede+, Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), Acelerase, e a Secretaria de Estado da Educação, Esporte e Cultura (Seduc).

Benefícios para parceiros

O principal benefício oferecido aos parceiros do Programa Centelha é a possibilidade de contribuir para o fortalecimento da cultura empreendedora e do ecossistema de inovação brasileiro. As instituições parceiras e os Agentes Centelha podem contribuir de diversas formas, tais como: divulgação da oportunidade em suas redes sociais; incentivo à submissão de propostas;  envio de e-mails de divulgação à sua rede; realização de eventos de divulgação; mobilização de sua região ou instituição; propostas; esclarecimento de dúvidas dos empreendedores; orientação aos interessados no programa; orientação na abertura das empresas; entre outros.

Para ser um parceiro Centelha é só acessar o endereço eletrônico http://bit.ly/parceiros-centelha ou liguar para a Coordenação do Programa de Inovação Tecnológica da Fapitec: (79)3259-3007.

Certificados

Na ocasião o governo também entregou certificados do curso de Arduino Básico a dez alunos. O curso oferecido gratuitamente pelo Centro Vocacional Tecnólogico (CVT) do Sergipetec. A Universidade Tiradentes é parceira desta ação disponibilizando três estagiários de engenharia mecatrônica que realizaram esta ação nos laboratórios do CVT.

*Fonte: Secom/Governo de Sergipe
Foto:  Mário Sousa/ASN.

Última atualização: 5 de setembro de 2019, 09:35

Membros da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia estiveram com representantes de mais seis estados em reunião do Comitê de Promoção da Concorrência do Mercado de Gás Natural no Brasil

O gás natural desponta em Sergipe como uma das mais promissoras oportunidades para o desenvolvimento do estado nos próximos anos. Entendendo a importância deste combustível, o governo do Estado, por meio do secretário de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia, José Augusto Carvalho, e do assessor técnico Marcelo Menezes, esteve nesta quinta-feira (30), em Brasília, para uma reunião do Comitê de Promoção da Concorrência do Mercado de Gás Natural no Brasil.

O Comitê foi criado pelo governo federal para apresentar soluções à abertura do mercado de gás natural. Além de Sergipe, também foram convidados representantes dos estados do Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais, Espírito Santo, Rio Grande do Sul e Pernambuco, com o intuito de discutir alternativas para o desenvolvimento do setor, sugerindo propostas que destravem pendências entre os Estados e a União com relação à comercialização do energético.

Durante a reunião, os representantes de Sergipe lembraram aos presentes sobre as recentes descobertas em águas profundas e o quanto isso representará para o estado. “Está prevista a entrada em operação, a partir de 2023, de poços dos blocos exploratórios em águas profundas operados pela Petrobras, destacando-se os de Moita Bonita, Barra e Farfan, blocos oriundos da 6ª Rodada de Licitações, que representarão um marco para o desenvolvimento do estado”, disse o secretário José Augusto Carvalho.

Ele destacou ainda a movimentação que está sendo realizada pelo governo de Sergipe para atrair empresas que venham a consumir esse gás no próprio estado. “Estamos muito interessados em participar desse novo mercado do gás, e dispostos a criar mecanismos que atraiam empresas para se instalarem em áreas próximas à Unidade de Processamento de Gás Natural a ser implantada pela Petrobras. Teríamos um gás com custo de produção mais baixo, já que a distância dos campos para o litoral é bem menor que em Campos/RJ e Santos/SP, por exemplo”, completou o secretário.

Os representantes do ministério ficaram entusiasmados com os encaminhamentos que estão sendo adotados pelo governo de Sergipe acerca do tema. Estiveram presentes na reunião o secretário executivo adjunto do Ministério de Minas e Energia, Bruno Eustáquio de Carvalho; o coordenador-geral de Infraestrutura de Gás Natural da Secretaria de Petróleo e Gás Natural, Aldo Barroso Cores Júnior; e o subsecretário de Energia, do MInistério da Economia, Leandro Caixeta Moreira.

Visita à Abrace

Além da reunião na Secretaria de Petróleo e Gás, os representantes de Sergipe aproveitaram a oportunidade para fazer uma visita à Associação dos Grandes Consumidores de Energia e Consumidores Livres (Abrace), que é uma das associações mais antigas do setor elétrico e que advoga pelos consumidores e pela importância da energia para o desenvolvimento do setor produtivo no Brasil.

A associação reúne mais de 50 grupos empresariais responsáveis por quase 40% do consumo de energia elétrica do Brasil e 42% do consumo de gás natural, em  mais de 800 unidades de consumo mapeadas em 25 estados brasileiros. A associação conta com a presença de diversos setores industriais como mineração, siderurgia, alumínio, petroquímica, papel e celulose, vidros, cloro-soda, têxtil, automobilístico, alimentício, gases industriais, ferro-ligas e cimento, entre outros.

“A visita à Abrace teve como objetivo estreitar as relações entre Sergipe e esta instituição tão importante no cenário de energia e gás natural do país”, explica o assessor técnico Marcelo Menezes. Acompanharam a visita o diretor técnico da ABRACE, Felipe Soares, e o coordenador de gás natural, Adrianno Lorenzo.

Última atualização: 5 de setembro de 2019, 09:35

O governador Belivaldo Chagas recebeu, na tarde desta quinta-feira, 29, uma comissão de taxistas de Sergipe. Na ocasião, os dirigentes do Sindicato dos Trabalhadores em Táxis de Sergipe entregaram uma pauta de solicitações ao governador. A reunião foi acompanhada pela senadora Maria do Carmo Alves, o deputado federal Fábio Mitidieri, o deputado estadual Adailton Martins e técnicos do governo.

Após ouvir as solicitações dos taxistas, o governador se comprometeu em promover uma nova reunião dentro de 30 dias para apresentar a contraproposta do governo. Belivaldo Chagas também solicitou, que neste período, os dirigentes do sindicato procurem dialogar com os diretores dos órgãos envolvidas nas reivindicações, levando mais informações e sugestões, para que possam unificar as propostas.

Os taxistas estão reivindicando a isenção do ICMS que incide sobre o preço do gás veicular (GNV) para a categoria; que a licitação para o serviço de transporte do governo tenha a exigência do veículo com placa de aluguel vermelha; mais segurança para os profissionais que trabalham, principalmente à noite e nas saídas da capital; e abertura de linha de crédito pelo Banese para renovação da frota dos táxis de Sergipe.

O governador reforçou que está aberto ao diálogo e que espera encontrar alternativas, dentro das condições do Estado, para as solicitações apresentadas.

Presenças

Participaram da reunião o secretário de Estado da Fazenda (Sefaz), Marcos Vinícius Nascimento; o procurador Geral do Estado, Vinícius Thiago Soares de Oliveira; o superintendente da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia (Sedetec), Carlos Augusto Franco; e o presidente da Codise, José Matos.

Última atualização: 5 de setembro de 2019, 09:45

O evento que acontece no Hotel Radisson, teve início no último domingo, 26, e contou com a participação de secretários estaduais e presidentes de órgãos ligados à área.

 

Reunindo áreas da física como: atômica e molecular; biológica; de estatística e computacional; médica; ótica e fotônica, entre outras, o Encontro de Outono da Sociedade Brasileira de Física (EOSBF) teve início no último domingo, 26, e contou com o apoio do Governo do estado, por meio da Fundação Apoio à Pesquisa e à Inovação Tecnológica do Estado de Sergipe (Fapitec), além de viabilização de logística e atrações culturais, por meio da Secretaria do Turismo.

O evento contou com a participação do secretário de Estado do Turismo, Manelito Franco Neto, representando o governador, Belivaldo Chagas. Estiveram presentes ainda, o secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia de Sergipe (Sedetec), José Augusto Carvalho; o diretor-presidente do Instituto Tecnológico e de Pesquisas do Estado de Sergipe (ITPS), Kaká Andrade; assim como o diretor-presidente do Sergipe Parque Tecnológico (SergipeTec), Brenno Barreto; e o diretor técnico da Fapitec, Ronaldo Guimarães.

O secretário Manelito Franco Neto, deu boas vindas aos participantes e lembrou que é a primeira vez que o estado recebe o congresso, que é o maior evento de física do país. “A gente fica feliz em receber professores, estudantes, mestres e doutores de todas as regiões do Brasil e também de fora. Espero que todos conheçam e se encantem pelas belezas de Sergipe”, disse.

O secretário José Augusto Carvalho, em seu discurso, citou que Sergipe investe fortemente em Ciência e Tecnologia, sendo referência no Brasil. Ele citou que este ano, R$ 15 milhões foram destinados pelo governo para a área. Destes, R$ 5,8 milhões contemplarão bolsas, auxílio e pesquisas na Fapitec. “No ano de 2018, cerca de R$ 13,6 milhões foram destinados para a Ciência e Tecnologia em Sergipe. Para 2019, com o aumento de recursos, haverá muito mais benefícios para esta, que é uma das áreas mais importantes para o desenvolvimento econômico do estado. É um reconhecimento do governador sobre a importância em investir nestas áreas”, frisou.

EOSBF

O Encontro de Outono da Sociedade Brasileira de Física (EOSBF) acontece pela primeira vez no estado e é o maior evento de física no Brasil. Segundo a organização do evento, os participantes poderão desfrutar de uma programação científica de alto padrão, além ter a oportunidade de visitar as belezas exóticas da região.

“Temos uma programação científica bastante intensa que começou no último domingo e vai até a sexta-feira, 31. Muito físicos importantes do Brasil e do mundo estão participando. Agradecemos o apoio do governo, que conseguiu uma estrutura de logística que está nos dando um suporte importante”, lembrou uma das organizadoras, a professora-doutora, Susana Lalic.

 

Fotos: Arthuro Paganini/ASN

 

Última atualização: 5 de setembro de 2019, 09:35

O governador falou da importância de fortalecer o diálogo e parceria com instituições como o Fórum Empresarial na busca de soluções conjuntas que resultem em um Sergipe melhor

Para discutir temas relacionados ao desenvolvimento de Sergipe, o governador Belivaldo Chagas recebeu, nesta terça-feira (21), dirigentes do Fórum Empresarial de Sergipe, dentre eles o coordenador da entidade, Milton Andrade, o vice-coordenador, Celso Hiroshi Hayasi, e o primeiro tesoureiro, Daniel Alcântara Barbosa. A audiência, realizada no gabinete do governador, no Palácio dos Despachos, contou com a participação dos secretários de Estado Geral de Governo, José Carlos Felizola, da Comunicação, Sales Neto, do superintendente de Planejamento da Segov, Marcel Resende, e dos assessores do Estado, Oliveira Júnior, Ricardo Lacerda e Guilherme Rebouças.

O governador falou da importância de fortalecer o diálogo e parceria com instituições como o Fórum Empresarial na busca de soluções conjuntas que resultem em um Sergipe melhor. “Vamos avaliar as proposta apresentadas pelo Fórum. O governo está aberto ao diálogo para que possamos chegar aos melhores resultados para o nosso estado”, declarou Belivaldo.

Milton Andrade elogiou a disponibilidade da gestão estadual para ouvir os diversos órgãos representativos da sociedade e a consciência do governador de que o momento é de dialogar para enfrentar os desafios apresentados ao crescimento de Sergipe. “O governador se mostra muito atento e sintonizado com os desafios que Sergipe tem, uma vez que, de fato, vivemos a mais grave crise econômica de toda história do país. Não vamos superar essa crise a não ser pela união, tanto do poder público quanto da iniciativa privada. Ficamos muito felizes ao em ver que o governador já está atento aos pontos críticos destes desafios e também que ele esteja receptivo a essa parceria. Saímos daqui bastante animados, pois sabemos que temos grandes dificuldades a enfrentar, mas também encontramos uma grande parceria do governo do Estado aqui hoje”, disse.

O coordenador do Fórum Empresarial de Sergipe destacou ainda a proficiência do governo de Sergipe diante das limitações impostas pelo período de crise. “Apresentamos algumas questões, principalmente referentes à infraestrutura, mas o governo tem conhecimento e demonstrou que já vem tratando desses temas. E nos do Fórum queremos nos somar para colaborar com esses temas”, afirmou Milton Andrade.

Última atualização: 5 de setembro de 2019, 09:35

Em agenda na cidade de Carira nesta sexta-feira (17), o governador Belivaldo Chagas confirmou a chegada da indústria Casu Calçados, proprietária das marcas Di Cristalli e Mixage, no município do Agreste sergipano. Ao visitar o local que abrigará a unidade, Belivaldo informou que o anúncio foi feito pelo grupo empresarial na quinta-feira (16). A nova fábrica ocupará o espaço utilizado, anteriormente, pela Azaleia e poderá gerar cerca de mil empregos na região nos próximos três anos.

Segundo o governador, a vinda da fábrica para Carira é fruto de longas tratativas do grupo empresarial com o Governo do Estado. “Visitamos o galpão no qual, muito em breve, será instalanda uma indústria de calçados, fruto do compromisso assumido por nós com a população de Carira. Tivemos alguns problemas, alguns percalços em função da empresa Lia Line que sinalizou sua chegada ao município, mas acabou não dando certo. Porém encontramos outra indústria, a Casu, que já assumiu o compromisso de que, em no máximo 30 dias, deverá começar a implantação”, explicou Belivaldo.

As negociações com a empresa acontecem por meio da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia (Sedetec) e da Companhia de Desenvolvimento Industrial de Sergipe (Codise). Para a instalação da fábrica, que já está no mercado há 19 anos, serão investidos R$ 3.989,520,22.

Atraída pelo Programa Sergipano de Desenvolvimento Industrial (PSDI), ação de governo que objetiva a captação de novos negócios para Sergipe por meio da oferta de incentivos, a empresa tem expectativa de gerar 380 empregos diretos já no primeiro ano de funcionamento, com o possível aumento gradativo neste quadro até o terceiro ano de atuação.

“Há possibilidade de daqui a 100 dias já iniciar a produção da primeira linha, gerando emprego para o município de Carira e para toda a região. É uma indústria forte que deverá, nos próximos anos, ter em torno de mil pessoas empregadas na sua linha industrial”, reforçou o governador.

Última atualização: 5 de setembro de 2019, 09:35

Cerimônia foi coordenada pelo secretário de estado do Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia, José Augusto de Carvalho

Administrador por formação com passagem por diversas entidades representantes do comércio, Brenno Barreto foi empossado na manhã desta terça-feira (30), como novo presidente do Sergipe Parque Tecnológico (SergipeTec). A solenidade aconteceu no auditório da Codise em Aracaju, e foi coordenada pelo secretário de estado do Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia, José Augusto de Carvalho.

Após pouco mais de três anos de gestão do ex-presidente Manoel Hora, Brenno chega ao SergipeTec para contribuir com um dos mais estratégicos espaços do Governo de Sergipe no apoio e fomento a iniciativas ligadas à Ciência, Tecnologia e Inovação, sejam elas empreendedoras, projetos ou eventos. “Vamos tentar sanar todos os percalços financeiros, focar, e encarar os desafios do setor privado, buscando alternativas através de captação de recursos para viabilizar o Parque Tecnológico, a ciência e tecnologia do estado”, declarou Brenno durante seu discurso de posse.

O novo presidente parabenizou ainda o seu antecessor, Manoel Hora, pelo tempo de gestão frente ao SergipeTec. “Quero me esforçar para manter o nível do antigo gestor, que desenvolveu um belo trabalho frente ao SergipeTec”, pontuou.

O secretário da Sedetec, José Augusto Carvalho, que no ato representou o governador Belivaldo Chagas, falou em seu discurso que o governo reconhece a importância da tecnologia, ciência e inovação para o desenvolvimento do estado e que não cansa de incentivar isso, com ações voltadas para a área. “Todos os nossos atores: legislativo, executivo, universidades e empresas, são o conjunto de forças para o desenvolvimento econômico de Sergipe. Precisamos criar mais mecanismos, mais apoio e oportunidades para alavancarmos de vez o SergipeTec e transformá-lo no grande polo da Ciência e Tecnologia que ele merece ser”, afirmou.

O ex-presidente do Sergipe Parque Tecnológico, Manoel Hora, também esteve presente e corroborou com a opinião do secretário. Para ele o estado tem um grande potencial na inovação, e precisa de esforços sendo empregados constantemente ao SergipeTec. “Vejo que o Parque pode se tornar o centro de referência em ciência, tecnologia e inovação do estado. O Brenno tem a tarefa de tocar este trabalho, por isso, fico em feliz em passar este bastão. Sergipe pode dar passos fortes, não só na área social, mas em CT&I também”, opinou o ex-presidente, Manoel Hora.

Currículo

O novo diretor-presidente do SergipeTec, Brenno Luiz Ribeiro Barreto, é graduado pela Universidade Tiradentes (Unit) em Administração no ano de 1996. É pós-graduado também pela Unit como MBA em finanças corporativas no ano de 2008. Na sua vida profissional, foi presidente da Câmara de Diretores Lojistas de Aracaju (CDL) de 2015 até 2020. Ainda na CDL, foi diretor do SPC de 1997 a 2000, diretor secretário de 2000 a 2004, diretor de patrimônio de 2004 a 2008 e diretor financeiro de 2008 a 2014. Participou como conselheiro do Conselho Deliberativo Estadual do Sebrae, foi conselheiro da Fundação Municipal do Trabalhador (Fundat) e conselheiro da Associação Comercial e Empresarial de Sergipe (Acese). Brenno foi membro do Fórum Empresarial de Sergipe, membro do Conselho Municipal de Desenvolvimento Econômico de Aracaju (Comden) e membro do Conselho da Secretaria Municipal da Fazenda (Semfaz).

Última atualização: 5 de setembro de 2019, 09:36

Nesta segunda-feira (29), a Petrobras abriu processo de licitação para o arrendamento das fábricas de fertilizantes nitrogenados de Sergipe (Fafen-SE) e da Bahia (Fafen-BA). A licitação inclui os terminais marítimos de amônia e ureia no Porto de Aratu, na Bahia.

O governador de Sergipe, Belivaldo Chagas, explicou que este é mais um passo para possibilitar a continuação Fafen em Sergipe. “O governo tem se empenhado para oferecer condições para que a Fafen não encerre as atividades no nosso estado. Sabemos da importância da fábrica para economia da região e para o país, por isso não medimos esforços para oferecer alternativas legais que garantam a continuidade das atividades”.

As propostas, restritas às três empresas pré-qualificadas – Proquigel Química S.A., PJSC Acron e Formitex Empreendimentos e Participações Ltda. – deverão ser entregues até o dia 22 de junho deste ano.

Vence a empresa que apresentar o maior preço para o arrendamento no período de dez anos, renováveis por mais dez. A Petrobras informou que a licitação está de acordo ao disposto na lei 13.303 e no Regulamento de Licitações e Contratos da Petrobras (RLCP).

Brasília

No início deste mês, o governador Belivaldo Chagas esteve, em Brasília (DF), ao lado do governador da Bahia, Rui Costa, com o ministro de Minas e Energia, Almirante Bento Costa Lima, para discutir a retomada da operação das fábricas de fertilizantes de Sergipe e da Bahia.

O encontro teve como objetivo buscar encaminhamentos práticos, além de definir ações para um possível arrendamento das fábricas, localizadas no município de Laranjeiras (SE) e Camaçari (BA).

Na ocasião, Belivaldo destacou a possível redução de tarifa de água e Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) como medida para incentivar o arredamento da fábrica em Sergipe.  O governador também cobrou a diminuição do preço do gás pela Petrobras para a garantia do processo proposto. “É preciso definir o papel de cada um neste processo. Nossa parte, nós faremos. Estamos otimistas e empenhados em resolver esse problema, que tem sido uma de nossas prioridades do governo”, garantiu na oportunidade.

 

Com informações da Ascom/Petrobras

Última atualização: 5 de setembro de 2019, 09:36

A ultima semana foi de diálogo para geração de emprego e renda para Sergipe. Isso porque empresários de Santa Catarina buscaram o governo de Sergipe, por meio da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia (Sedetec), para manter um intercâmbio de ideias socioeconômicas a fim de se instalar e movimentar a economia do estado. Além disso, um empresário sergipano do ramo de água mineral também procurou o governo para dialogar e solicitar apoio para sua indústria.
A primeira reunião foi com o empresário do ramo de água mineral, Japiassu Ramalho, que informou aos presentes dados importantes da sua empresa. Segundo ele, a indústria que fica localizada no Povoado Aningas, em São Cristovão, está há nove anos no mercado. “O intuito da visita foi solicitar apoio fiscal. Fomos bem recebidos pelo governo, que assim como eu, tem interesse em expandir a capacidade de geração de emprego na fábrica, e consequentemente aumentar a renda dos sergipanos. Esperamos que tudo corra bem”, declarou o empresário.
De acordo com o secretário da Sedetec, José Augusto Carvalho, é importante manter o diálogo sempre aberto com empresários, não só de Sergipe, como de outros estados, para que assim, haja um consequente crescimento econômico e geração de empregos para os sergipanos. “O desemprego em Sergipe deve diminuir nos próximos anos com a possibilidade de instalação de novas empresas e também com apoio para as que já estão instaladas aqui e precisam expandir seus negócios”, afirmou.
Acompanhando do presidente da Codise José Matos, o secretário José Augusto Carvalho conversou ainda com o vereador Augustinho Antunes (SD) de Neópolis e com o presidente da Agência de Desenvolvimento Econômico e Social da cidade, Luiz Martins, que na ocasião representou os empresários da cidade de Pomerode, localizada em Santa Catarina. Na oportunidade foi discutido a atração de investimentos para a região do Baixo São Francisco, que carece da geração de novos empregos.
Ambas as reuniões contaram com a articulação do deputado estadual Zezinho Sobral, que aproveitou a oportunidade para lembrar que Sergipe tem um programa de incentivo para quem deseja duplicar ou até mesmo triplicar sua produção. Para ele, é importante que isso seja adequado, porque permite ao empresariado ampliar as suas ações e o seu faturamento. “Acredito que para crescer, o empresário precisa de incentivo. O secretário e o presidente da Codise nos receberam junto com sua equipe e já deram encaminhamento a estes pleitos, para que tudo frutifique e dê bons resultados para o desenvolvimento econômico de Sergipe”, disse.
Para o presidente da Agência de Desenvolvimento Econômico e Social de Neópolis o desemprego será combatido com a possível vinda das empresas de fora. “Queremos mudar essa situação em Neópolis, pois lá possui um número muito grande de pessoas que vão para outras regiões do país, especialmente a região sul, em busca de melhores condições de vida. Já estamos construindo uma forma de integração e também preparando a viagem até lá. Vamos tratar de diversos assuntos na área socioeconômica, de investimentos e turismo”, pontuou Luiz Martins.
Já o vereador Augustinho Antunes lembrou que a cidade possui uma fábrica de tecidos forte. “Vamos ver a possibilidade de uma parceria com os empresários de Pomerode para que possam oferecer a fabricação de camisas, através da matéria-prima deles, por exemplo. Vamos passar o que o governo e o município têm a oferecer, e eles vão passar para a gente o que pode ser feito no sentido de gerar parcerias. O objetivo é que eles conheçam nosso potencial e se interessem em se instalar lá”, finalizou.

Última atualização: 5 de setembro de 2019, 09:36