A Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex Brasil) realizará a Rodada Virtual Natural, Organic & Healthy Foods entre os dias 28 de junho e 01 de julho. O evento busca criar oportunidades para as empresas brasileiras negociarem seus produtos com compradores internacionais (distribuidores e importadores) do varejo e/ou food service.

As rodadas de negócios com reuniões individuais (B2B) acontecerão por meio de videochamada dentro da plataforma MyBusinessMatches, criada para apoiar as mais de 450.000 empresas cadastradas a realizar mais e melhores negociações internacionais.

As inscrições estarão abertas até o dia 21 de maio e, após isso, no dia 01 de junho, começarão os treinamentos para criação de perfil, inclusão de informações e melhores práticas de uso da plataforma. Por fim, até o dia 25 de junho, haverá a solicitação e agendamento de reuniões com compradores.

Para realizar a inscrição, basta acessar o site https://cutt.ly/zbH3wZ8, inserir o e-mail (preferencialmente corporativo) e aceitar os termos e condições do evento. O regulamento completo da Rodada Virtual encontra-se no site https://cutt.ly/ebH3lXc.

Reunião foi promovida pela Câmara de Negócios Internacionais de Alagoas (CNIA) e contou também com a presença da diretoria da Fecomércio/SE

Estreitando laços entre Sergipe e potências comerciais mundiais, o Governo do Estado participou nesta terça-feira (13) de um webinar promovido pela Câmara de Negócios Internacionais de Alagoas (CNIA). Com o tema “Acelerando o comércio bilateral Sergipe-Brasil/ Yiwu-China”, a conferência contou com a presença de lideranças chinesas e brasileiras, que apresentaram potencialidades de negócios e relações institucionais. Representando Sergipe, o secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia, José Augusto Carvalho, esteve acompanhado do deputado federal Laércio Oliveira, que, na oportunidade, também representou a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Sergipe (Fecomércio/SE), da qual é presidente .

Expondo as oportunidades de comércio em Sergipe, o secretário José Augusto destacou as indústrias de suco de laranja, café e fertilizantes como segmentos a serem explorados. “Os produtos agrícolas são dependentes dos fertilizantes, e os fertilizantes nitrogenados são dependentes do gás natural. Esperamos ter uma grande produção desse gás nos próximos anos. Portanto, fazemos um convite formal ao governo da China. Se alguma empresa chinesa quiser investir em Sergipe, será muito bem recebida. Construiremos uma teia de suprimentos, com investimento chinês no gás brasileiro e exportação dos produtos gerados de volta para a China, formando uma cadeia. Esse é o nosso sonho, o futuro do comércio internacional, e, para tanto, esperamos contar com a colaboração da comunidade chinesa”, pontuou.

O deputado federal Laércio Oliveira enfatizou a importância das riquezas minerais e hidrográficas como eixos de oportunidade comercial em Sergipe. “Nosso estado é abundante em potássio, ureia, argila, petróleo e gás. As bacias hidrográficas são outra riqueza, e através delas podemos desenvolver o turismo náutico, a pesca esportiva e a carcinicultura, que são atividades ainda não consolidadas no estado. Sergipe é um celeiro de oportunidades, e através da Câmara Internacional de Negócios temos uma ponte para alcançar com a China uma relação comercial saudável e forte”, ressaltou.

O evento foi mediado pelo presidente da CNIA, Luizandré Barreto, que manifestou uma visão promissora diante dos diálogos iniciados. “O papel institucional da Câmara é justamente colocar o Brasil, especificamente o Nordeste, em projeção mundial. O mundo precisa entender que somos grandes produtores de alimentos, que detemos grandes riquezas. Acredito muito no trabalho que estamos fazendo e nas pessoas que apostam nesse movimento, e espero que, com isso, possamos propagar tanto o estado de Alagoas como o de Sergipe”, afirmou.

Para a consulesa geral da China em Recife, Yan Yuqing, o webinar foi uma boa prática para concretizar oportunidades, uma vez que promover os intercâmbios locais e a cooperação econômica e comercial entre a China e o Brasil sempre foi o foco dos trabalhos do Consulado. “Através dos discursos do senhor deputado, do senhor secretário e do presidente Luizandré temos mais conhecimentos sobre o estado de Sergipe, que tem grandes vantagens geográficas e é um ponto de desembarque e saída marítima. Além disso, é um grande produtor de petróleo e gás natural no Brasil. A zona de comércio livre de Yiwu e a zona de processamento e exportação de Sergipe têm vantagens complementares. Se os dois lados puderem aproveitar bem essa plataforma e fortalecer essa cooperação, acredito que iremos promover desenvolvimento econômico de alta qualidade”, acrescentou.

Já o presidente da Câmara China-Brasil na cidade de Yiwu, Jl Zllin, salientou a relevância das tratativas entre os dois países para o fortalecimento econômico e social de ambos. “A função da Câmara é estabelecer parcerias com municípios brasileiros, promovendo o intercâmbio na área cultural, pessoal e de tecnologia, além de conectar produtos com um mercado consumidor de 1,4 bilhões de pessoas. Neste momento, desejamos avançar em nossos projetos para dar maior contribuição ao comércio de investimentos entre Yiwu e o Brasil e, principalmente, entre Yiwu e o estado de Sergipe”, registrou.

A conferência virtual contou ainda com a participação do cônsul comercial Shao Weitong, do diretor do escritório municipal de comércio de Yiwu, Yang Zhonghong, e do vice-prefeito de Yiwu, Zhang Chao.

A pouco mais de 30 quilômetros de Aracaju, uma indústria têxtil está há 21 anos movimentando a cidade de Maruim e gerando emprego e renda para a população daquela região. A Colortextil Nordeste é a filial sergipana do grupo mineiro Colortextil e atua em Sergipe na fabricação de tecidos. A empresa conta com incentivos fiscais do Governo do Estado, por meio do Programa Sergipano de Desenvolvimento Industrial (PSDI) e gera, atualmente, 85 empregos diretos, número que chegará a 90 no mês de maio.

Localizada em um imóvel centenário, construído pelo antigo grupo Maisa (Maroim Industrial S/A) e que foi uma fábrica de fios do grupo Constâncio Vieira, a Colortextil surpreende pela estrutura física e operacional. Ao todo, 63 máquinas produzem oito tipos de artigos, como forros para cortinas, calçados, sutiãs, entre outros itens, fornecendo materiais para outras indústrias do país.

A produção média é de 15 toneladas de tecidos por dia e a expectativa é de que esse número aumente para 16,5 toneladas a partir do mês de maio, quando quatro novas máquinas chegarão da Alemanha para incrementar a produção. “Adquirimos recentemente 12 novas máquinas alemãs, que são as mais modernas e mais eficientes do mercado. Oito já chegaram e ainda estamos aguardando mais quatro, que entrarão em produção em maio. Com essa aquisição, investimos cerca de R$ 6,2 milhões, e aumentamos o número de empregos gerados”, explica o diretor industrial, Guilherme Nogueira.

A expansão da Colortextil Nordeste não deve parar por aí. Um novo galpão já está finalizado e outro está em fase final de obra, para que, em 2022, a linha de produção seja ampliada. A previsão é de que sejam adquiridas 14 novas máquinas, que devem produzir mais 5 toneladas de tecidos por dia, em uma área de mais de 800m2 A indústria utiliza matéria prima da China e da Índia, importando quatro contêineres de material por semana.

“Ficamos muito satisfeitos quando vemos uma indústria do porte da Colortextil investindo e acreditando em Sergipe. Eles são um grupo sólido, que se instalou aqui há muitos anos e que, mesmo com todo esse tempo, continua apostando no Estado”, pontua o secretário de estado do Desenvolvimento Econômico, da Ciência e Tecnologia, José Augusto Carvalho, que junto com o presidente da Codise, José Matos, o diretor técnico, Luiz Mário e o diretor financeiro, Gildo Xavier, fez uma visita de cortesia à indústria na última terça-feira (23).

Incentivos

Durante a visita, o presidente da Codise, José Matos, pode lembrar alguns tópicos importantes do PSDI, do qual a Colortextil Nordeste recebe incentivos fiscais, além de reforçar a importância do Programa para o crescimento da empresa. “A Colortextil é uma fábrica que muito tem contribuído para a geração de empregos na região de Maruim, fruto de um trabalho sólido do grupo do qual participa, bem como do Governo do Estado, por meio do PSDI. Confiamos que eles continuarão com esse trabalho e essa parceria com Sergipe por muitos e muitos anos”, observa.

Para Guilherme Nogueira, o PSDI é uma ferramenta fundamental para empresas que se instalam em Sergipe porque oferece condição de ser competitivo. “A gente está a 2000 quilômetros dos grandes consumidores têxteis do Brasil. E, nesse sentido, o PSDI é fundamental para fomentar a indústria aqui na região. Além disso, o relacionamento com o Governo sempre foi muito bom. Temos bom acesso e, em todo problema que aparece, as pessoas nos auxiliam na resolução com rapidez. Sem dúvidas, Sergipe é um estado muito acessível para o industrial”, finaliza o diretor industrial da Colortextil.

Dando continuidade às tratativas sobre novos projetos para o Complexo Industrial Portuário, o grupo de trabalho composto por representantes de diversas secretarias e órgãos do Governo de Sergipe reuniu-se nesta segunda-feira (08), para alinhar detalhes e traçar encaminhamentos. A convite do secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico, da Ciência e Tecnologia, José Augusto Carvalho, estiveram presentes o secretário de Estado do Desenvolvimento Urbano e Sustentabilidade, Ubirajara Barreto; o diretor-presidente da Companhia Estadual de Habitação e Obras Públicas (CEHOP), Caetano Quaranta; o diretor-presidente da Administração Estadual do Meio Ambiente (Adema), Gilvan Dias, e o diretor-presidente da Companhia de Desenvolvimento Econômico de Sergipe, José Matos Lima Filho, além de assessores técnicos dos órgãos.

Na oportunidade, o assessor técnico da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia (Sedetec), Marcelo Menezes, conduziu uma explanação sobre a disposição das áreas do Complexo e dos investimentos previstos para a região. O estudo de área e a realização de uma nova reunião focal com técnicos da Sedurbs foi um dos encaminhamentos do encontro. 

Para o secretário José Augusto Carvalho, a reunião do grupo de trabalho demonstra a preocupação do Governo com o engajamento de diversas frentes no desenvolvimento industrial em Sergipe. “Estamos discutindo estratégias, antecipando entraves e apresentando soluções, trabalhando de forma integrada para que o Complexo venha a se afirmar como um importante pólo regional”, afirmou.

“É necessário que todas as ações nas quais estamos trabalhando hoje envolvam uma perspectiva dos impactos futuros. Estamos pensando no todo, não só no primeiro momento. Vamos direcionar técnicos para analisar os mapas de maneira focada, para podermos definir o estudo de área“, comentou o titular da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Urbano e Sustentabilidade (Sedurbs), Ubirajara Barrero.

O diretor-presidente da Adema resumiu as atribuições do grupo de trabalho, considerando as especificidades de cada município integrante do Complexo. “Estamos discutindo a consolidação de um pólo industrial para a região Norte do estado, que vai da Barra dos Coqueiros até Santo Amaro das Brotas, passando por Maruim e Laranjeiras. Com isso, vamos agregar um potencial em cada local, dentro de suas aptidões. Para tanto, estamos empenhados no estudo prévio sobre a viabilidade de cada segmento, definindo as respectivas poligonais”, explicou Gilvan Dias.

Uma nova reunião para dar continuidade aos trabalhos e andamento das discussões está agendada para a próxima quinta-feira, (11), na Secretaria de Estado do Desenvolvimento Urbano.

Reunião realizada na Sedetec contou com a participação de diretores da Cehop, Sedurbs, Adema e Codise

Com o objetivo de iniciar as tratativas para o desenvolvimento de projetos para o Complexo Industrial Portuário, o secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico, da Ciência e Tecnologia, José Augusto Carvalho, realizou na última quinta-feira (04), uma reunião com representante da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Urbano e Sustentabilidade (Sedurbs), diretores da Companhia Estadual de Habitação e Obras Públicas (CEHOP), e presidentes da Administração Estadual do Meio Ambiente e Companhia de Desenvolvimento Econômico de Sergipe (Codise). 

O Complexo Industrial Portuário de Sergipe foi criado por meio da Lei no 8.569, de 02 de setembro de 2019, com o objetivo de incentivar o desenvolvimento econômico e a geração de empregos na região em que está localizado, nos municípios de Barra dos Coqueiros, Santo Amaro das Brotas, Laranjeiras e Maruim. A consolidação do Complexo está contemplada como uma das metas prioritárias da atual gestão estadual, incluída no planejamento estratégico da Sedetec. 

Durante a reunião, representantes da Sedetec e da Codise apresentaram a proposta de implantação de dois distritos industriais e de toda a infraestrutura para atendimento das necessidades na região que compõe o Complexo Industrial e Portuário. “Estamos buscando definir o melhor encaminhamento a ser dado para essa região que será fundamental para o sucesso da política de desenvolvimento que está sendo implementada pelo Governo do Estado, principalmente no âmbito do petróleo e gás natural”, frisou o secretário José Augusto Carvalho.

Esta foi a primeira reunião envolvendo todos estes órgãos do Governo e proposta inicial é desenvolver um “estudo conceitual” com a junção das informações disponíveis, escolha das áreas e elaboração do termo de referência para a contratação dos projetos em seguida. “Já dispomos de alguns dados topográficos e cadastrais que poderão auxiliar nas primeiras análises e escolha preliminar das áreas”, explicou o assessor técnico da Sedetec, Marcelo Menezes. Na próxima segunda-feira será feita uma nova reunião, desta vez com a presença também do secretário Ubirajara Barreto e de representantes da DESO e DER. 

“A participação na Sedurbs neste processo é muito importante, não só com a própria secretaria, mas também com os órgãos vinculados, pois estamos construindo um parque que é de grande relevância para o Estado. Outras reuniões devem acontecer para chegarmos a um denominador comum quanto às características do parque em si, e sem dúvidas será uma construção coletiva e muito importante para o desenvolvimento de Sergipe”, destacou a superintendente executiva da Sedurbs, Deborah Dias.  

Participaram da reunião o presidente da Adema, Gilvan Dias, o diretor presidente da Cehop, Caetano Quaranta, a diretora de operações e serviços da Cehop, Rosina Vieira, e o diretor técnico da Companhia, Antônio Carlos dos Santos. Estiveram presentes também o presidente da Associação das Empresas do Distrito Industrial de Nossa Senhora do Socorro (ASSEDIS),  Hiro Hayasi, além de técnicos da Sedetec e Codise.

Exploração em águas ultraprofundas da Bacia Sergipe-Alagoas é destaque segundo empresa global de consultoria

A exploração de alto impacto de petróleo e gás no território sergipano, através das ações da ExxonMobil na Bacia Sergipe-Alagoas (SE-AL), foi reconhecida como uma das 20 campanhas mais promissoras do segmento em todo o mundo para 2021. A informação foi divulgada em relatório da Westwood Global Energy Group, empresa global focada em consultoria e pesquisa na área de energia, e divulgada pela imprensa especializada nacional e internacional.

O relatório, que lista os poços que devem atrair a atenção do mercado internacional durante o ano, menciona apenas uma outra campanha exploratória de destaque no Brasil, localizada na Bacia de Campos. Em Sergipe, o consórcio ExxonMobil/Enauta/Murphy é detentor de nove concessões de exploração na área da Bacia SE-AL, adquiridas nos últimos três anos.

A publicação ainda aponta as Américas como principal região de projeção exploratória de P&G em 2021, registrando a presença das operações offshore no Brasil nesta tendência. Outro dado apresentado pela consultoria é a presença da ExxonMobil como uma das três maiores exploradoras de alto impacto ativas em 2021.

De acordo com o secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico, da Ciência e Tecnologia, José Augusto Carvalho, o destaque internacional é uma confirmação das boas expectativas para Sergipe no segmento de petróleo e gás.

“Reconhecimentos deste tipo, apresentados por uma empresa de renome e impacto internacional, fazem com que o olhar de todo o mundo se volte a Sergipe, elevando o estado à posição de importante player mundial. É um aporte em visibilidade que, em médio prazo, deve se transformar também em aporte econômico, gerando investimentos para o estado que devem partir de dentro e de fora do Brasil. O Governo de Sergipe vem criando, através de políticas e diálogos, todas as condições para que essas expectativas se concretizem”, afirma.

Levantamento de informações e estratégias pautou encontro com direção da fábrica de Socorro

Por determinação do governador Belivaldo Chagas, as Secretarias de Estado do Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia (Sedetec) e da Fazenda (Sefaz), bem como a Companhia de Desenvolvimento Econômico de Sergipe (Codise), estreitaram o diálogo com o corpo diretivo da Yazaki, fornecedora direta da Ford com filial em Nossa Senhora do Socorro. Em reunião ocorrida nesta quinta-feira (14), a direção da empresa foi convidada a discutir ações para o novo momento, visando a manutenção das atividades da fábrica e dos empregos por ela gerados.

A equipe de secretários e técnicos do governo confirmou o propósito da gestão de continuar oferecendo suporte à fábrica, como já afirmado desde antes de sua instalação. A Yazaki conta com incentivos fiscais e locacionais previstos no Programa Sergipano de Desenvolvimento Industrial (PSDI), disponibilizados pelo Governo de Sergipe através da Sedetec e da Codise. Iniciando as atividades no estado em 2013, a fábrica local emprega atualmente 2 mil funcionários.

“Estamos envidando todos os esforços necessários e possíveis em prol da manutenção das atividades da Yazaki, oferecendo apoio técnico e estrutural para toda a sua equipe. Seguimos otimistas de que esta cooperação poderá continuar trazendo bons frutos para o estado, assegurando a continuidade dos postos de trabalho e das operações na fábrica”, afirmou Belivaldo Chagas. 

O secretário da Fazenda, Marco Antônio Queiroz, o secretário da Sedetec, José Augusto Carvalho, o diretor-presidente da Codise, José Matos Lima Filho, e o superintendente executivo da Sedetec, Marcelo Menezes, reforçaram o compromisso manifestado pelo governador Belivaldo.

Especializada na produção de peças elétricas e eletrônicas para veículos automotivos, a Yazaki de Sergipe direciona parte dos componentes fabricados à montadora de Camaçari, na Bahia, anunciada como uma das três unidades da Ford a serem descontinuadas no Brasil. A planta sergipana da Yazaki é a sexta do grupo no país, produto de um investimento de R$ 50 milhões em uma área construída de 19 mil metros quadrados. A Yazaki também destina parte de sua produção à Fiat Chrysler Automobiles (FCA), no município pernambucano de Goiana.

Durante a reunião, o gerente de operações da unidade de Socorro, Thomas Pracuch, explicou que a direção mantém-se em comunicação com a equipe da Ford, não havendo até então informações confirmadas sobre o planejamento da fábrica de Sergipe para o próximo período. A unidade sergipana integra a  Yazaki Mercosul,  que se constitui por nove unidades de produção espalhadas pelo Brasil, Argentina, Uruguai e Paraguai. Atualmente, parte da produção desse conjunto de fábricas é destinada à Ford. 

A reunião contou com a presença do gerente de recursos humanos da Yazaki de Sergipe, Jorge Rodrigues, e do presidente da Associação das Empresas do Distrito Industrial de Socorro (Assedis), Celso Hiroshi.

A implantação de uma indústria especializada no processo de formulação de combustíveis em Sergipe foi o foco de uma reunião realizada nesta terça-feira (12), na sede da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia (Sedetec). Trata-se da indústria PRD, que encontra-se em tratativas de instalação no município de Barra dos Coqueiros e deve gerar 200 empregos diretos. No encontro, foi discutida a viabilidade de concessão de incentivos fiscais, bem como aspectos técnicos da proposta.

Durante a reunião, um dos temas debatidos foi a agilidade do processo de liberação do empreendimento, cuja tramitação corre pela Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz). De acordo com o secretário da Sedetec, José Augusto Carvalho, o apoio à chegada e ao estabelecimento de novas empresas no estado é uma premissa do Governo de Sergipe. “Buscamos apresentar e afirmar todas as possibilidades no escopo do Governo do Estado para que a PRD encontre toda a estrutura necessária em sua implantação em Barra dos Coqueiros. Estamos engajados no diálogo com os atores locais e regionais, com o intuito de fazer desse processo o mais seguro e célere possível”, afirmou.

O representante e sócio da PRD, Ricardo Silva, salientou os benefícios a serem gerados pela implantação da empresa em Sergipe. “Serão gerados empregos tanto na construção quanto na mão de obra da fábrica em si, além da geração de renda e tributação. Estamos tentando viabilizar o projeto e aprovar o quanto antes, com fé de que conseguiremos ainda neste ano”, registrou.

Para o prefeito de Barra dos Coqueiros, Alberto Macedo, a chegada da PRD ao estado representa um grande incremento para o setor industrial de Sergipe e região. “É uma empresa que se propõe a trazer empregos ao município, que é o que precisamos para inserir nossa população no mercado de trabalho. No que depender de nós, estamos dispostos a contribuir para a instalação dessa indústria, que com certeza beneficiará muito o estado e o município”, destacou.

A reunião contou com a presença do deputado federal Laércio Oliveira, que acompanhou as discussões e colocou-se à disposição. “Precisamos identificar as oportunidades que o estado oferece. Temos um compromisso com o município de Barra dos Coqueiros e com Sergipe, que queremos fortalecer através de ações como essa”, pontuou.


Conforme relatório de avaliação do Tribunal de Contas do Estado (TCE-SE), a Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia (Sedetec) atingiu nota máxima (nota 10.0) no ranking Métrica/Matriz de Fiscalização da Transparência Pública. Esta avaliação é considerada elevada em comparação com outros órgãos da Administração Pública, em todas as esferas executivas.

Para o secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia, José Augusto Pereira de Carvalho, o reconhecimento expresso pelo relatório expõe as premissas de trabalho da Sedetec. “O resultado confirma que a Sedetec cumpre as recomendações da legislação vigente e as orientações dos órgãos de fiscalização, segue as diretrizes do Governo de Sergipe e do governador Belivaldo Chagas e propicia serviços e informações de forma segura, objetiva e transparente. Não menos importante, acata as reivindicações específicas da Lei da Transparência e de Acesso à Informação, sempre buscando o enriquecimento técnico para atender aos anseios da população, dos empresários e demais interessados no Estado de Sergipe”, destaca.

Observando o desenvolvimento no índice, que mede o nível de transparência, a Sedetec alcançou nota 4,6 em 2018 e 9,7 em 2019, chegando à nota 10,0 em 2020. “Mesmo neste período complexo de pandemia que nos aflige, que se arrastou pelo exercício de 2020 em nosso Estado, os servidores da Sedetec vêm se empenhando para manter e melhorar os serviços prestados, assim como os resultados desejados para a pasta. Isso reflete o grau de compromisso que temos, mesmo diante das atuais adversidades”, afirma o secretário.

A Sedetec convida os cidadãos, empresários e demais interessados a conhecer melhor a Secretaria através de seu site e, em tempo, disponibiliza as mais diversas informações de acordo com a Lei de Acesso à Informação, bastando, para tanto, acessar o link https://sedetec.se.gov.br/transparencia-2/.

Ação do PSDI oportuniza a geração de cerca de mil novos empregos

Com a missão de fomentar a geração de negócios, visando o desenvolvimento socioeconômico do estado, a Secretaria do Desenvolvimento Econômico, da Ciência e Tecnologia (Sedetec) e a Companhia de Desenvolvimento Econômico de Sergipe (Codise) atuaram de forma contínua, ao longo de todo o ano, a fim de garantir a atração de novas empresas e a manutenção dos negócios já existentes em Sergipe.

Ao todo, 15 benefícios foram concedidos através do Programa Sergipano de Desenvolvimento Industrial (PSDI), oportunizando a geração de cerca de 1.000 novos empregos para sergipanos de diversos municípios, como Laranjeiras, Itaporanga D’ajuda, Carmópolis, Nossa Senhora do Socorro, Barra dos Coqueiros, Santa Rosa de Lima e Tobias Barreto.

“O Programa Sergipano de Desenvolvimento Industrial é um dos diferenciais que Sergipe possui quando procura atrair novas empresas. Inclusive, recentemente, o governador sancionou a Lei que prorroga os benefícios do programa por mais 10 anos. Isso é muito importante para negociarmos com os empresários que têm interesse em investir no estado”, explica o secretário do Desenvolvimento Econômico, José Augusto Carvalho.

A fiscalização e controle das ações do Programa também têm sido constantes. Ao longo de todo 2020, a Codise fiscalizou e levou ao Conselho de Desenvolvimento Industrial (CDI)  o descumprimento das normas do PSDI em 13 empresas. “Nossas equipes visitam as empresas e verificam se estão cumprindo os requisitos necessários para a manutenção do benefício concedido. Assim, caso se caracterize um descumprimento, notificamos a empresa, e caso ela não volte às normas, informamos ao Conselho, que delibera sobre o tema. Neste caso, em 2020, 13 empresas tiveram seus benefícios, sejam fiscais ou locacionais, revogados”, explica o presidente da Codise, José Matos.

Outro ponto que merece ser destacado com relação ao PSDI é o número de reservas de área realizadas ao longo do ano, ou seja, o número de empreendimentos que sinalizaram interesse em imóveis geridos pela Codise. Ao todo, foram 34 reservas de área, um número bastante positivo, visto que este é o primeiro passo para a instalação de uma empresa no estado. “Após reservar a área, o empresário apresenta o relatório técnico-econômico-financeiro que será analisado pela Codise. Caso aprovado, a proposta segue para deliberação no CDI”, completa José Matos.

O presidente da Codise lembra que o ano foi bastante conturbado para o ramo industrial como um todo, fazendo as indústrias sergipanas sentirem o impacto da pandemia com a perda de produção, redução de receita, redirecionamento da produção, entre outros pontos. “Recebemos sempre com satisfação todos que procuram a Codise, apresentando nossas áreas e nossos benefícios. Em 2020 não foi diferente. Estivemos ao lado dos empresários e procuramos auxiliar no que estava ao nosso alcance durante esse ano tão desafiador. Mas, com foco no trabalho, conseguimos alguns resultados positivos que devem ser comemorados”, finaliza o presidente do órgão, José Matos.