Órgão é vinculado ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI)

A Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia (Sedetec) recebeu na manhã desta sexta-feira (30), a diretora do Centro de Tecnologia Mineral (Cetem), Sílvia França. O órgão federal está vinculado ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI). Com o papel de desenvolver tecnologias inovadoras e sustentáveis no setor mineral brasileiro, a engenheira química está em Sergipe realizando uma série de visitas em instituições parceiras, e na Sedetec apresentou o trabalho desenvolvido nas áreas de pesquisas tecnológicas em áreas estratégicas.

A reunião contou com as presenças do Deputado Federal, Láercio Oliveira; do Secretário do Desenvolvimento Econômico, da Ciência e Tecnologia de Sergipe, José Augusto Carvalho, do presidente da Fapitec, Ronaldo Guimarães, o presidente do SergipeTec, Eduardo do Prado Melo e demais assessores técnicos da Sedetec.

“O intuito da minha vinda é identificar os projetos de cooperação com esta secretaria e mostrar tudo que tem sido feito no Centro de Tecnologia Mineral (Cetem), principalmente no que se refere às pesquisas e projetos voltados para a área mineral do país”, disse Sílvia França.

Para o secretário José Augusto Carvalho, a visita reforça o bom relacionamento que Sergipe tem mantido com a esfera federal, seja por meio do Ministério de Minas e Energia, seja pelo Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação. “Sílvia tem uma bagagem enorme e estreirar os laços com o CETEM muito pode contribuir para o desenvolvimento de ações em Sergipe”, pontuou.

Última atualização: 6 de agosto de 2021, 11:03

Encontro tratou de pontos para a possível instalação de um Polo de Malte no Estado

Uma comitiva formada por gestores da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia (Sedetec) e da Companhia de Desenvolvimento Econômico de Sergipe (Codise), acompanharam diretores da Ambev em Sergipe em uma visita ao Terminal Marítimo Inácio Barbosa (TMIB). No local, a comitiva foi recepcionada por gestores da VLI Logística, empresa responsável pelo Porto, que os acompanharam para conhecer as instalações e estudar a viabilidade da implantação de um Polo de Malte no estado.

Durante o encontro foram debatidas formas de realizar a implantação, bem como o planejamento de novos encontros para discutir a logística e até mesmo expandir a instalação para a participação de demais parceiros interessados.

De acordo com o secretário José Augusto Carvalho, a visita, além de apresentar a estrutura do Porto aos gestores da Ambev, objetivou observar como seria uma possível operação. “Queremos estreitar as relações para estabelecer uma parceria entre as empresas, afinal, a criação de Polo de Malte é uma grande oportunidade para Sergipe, visto que abasteceríamos todo o Nordeste e o Brasil com o malte produzido aqui em no Estado”, disse.

Já o presidente da Codise, José Matos, informou que a reunião abre portas para um “marco importantíssimo para o estado, pois com a implantação do Polo, Sergipe terá um crescimento significativo, tanto na geração de novos empregos, quanto na economia”.

Para o gerente comercial da VLI, Ítalo Leão, “é gratificante debater com Governo e empresas formas de colaborar com o desenvolvimento contínuo do Sergipe e prestar nossa contribuição nesse sentido, por meio das atividades que a VLI realiza no Estado.”

Participaram da visita, além do José Augusto Carvalho, e do presidente da Codise, José Matos, o diretor técnico da Codise, Abner Melo, o gerente regional da Ambev, Mário Marques, o relações institucionais, Lucas Baggi, e o gerente de Finanças, Mozart Greco Vila Nova. Representando a VLI estavam o relações institucionais, Elias Rezende.

Última atualização: 6 de agosto de 2021, 11:03

Atualmente, a Ambev em Sergipe gera mais de nove mil empregos diretos, indiretos e induzidos, sendo responsável por 89% de abastecimento de outros estados da federação 

Com o intuito de estreitar os laços entre as instituições e conhecer todo o trabalho desenvolvido pela Cervejaria Ambev, representantes da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia (Sedetec) e da Companhia de Desenvolvimento Econômico de Sergipe (Codise) visitaram as instalações da empresa na tarde da última terça-feira (27).

Ao longo dos seus 24 anos, a Ambev tem investido vigorosamente em Sergipe. Nos últimos cinco anos, por exemplo, foram recolhidos mais de R$380 milhões de reais de ICMS, gerando mais arrecadação para o estado. Atualmente, a Ambev em Sergipe gera mais de nove mil empregos diretos, indiretos e induzidos, sendo responsável por 89% de abastecimento de outros estados da federação.

Durante a visita, os representantes do Governo puderam conhecer as linhas de fabricação e envase de cervejas. O grupo possui ainda em Sergipe, uma refrigeranteira, um centro de distribuição, e dois revendedores.

O gerente de Relações Institucionais da Ambev, Lucas Baggi, afirma que mesmo em tempos de pandemia, a “Ambev não deixou de produzir e continua investindo no estado para gerar renda e emprego aos Sergipanos”.

O secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia, José Augusto Carvalho, parabenizou as iniciativas da empresa no tocante a organização e novos projetos em Sergipe. “Em nome do Governo do Estado, quero parabenizar a Ambev por todo o trabalho que vem sido desenvolvido nessas mais de duas décadas aqui no município de Estância. Saímos muito animados com os novos planos que estão por vir”, ressaltou. 

Já o presidente da Codise, José Matos, lembrou que a Ambev é uma das beneficiadas pelo Programa Sergipano de Desenvolvimento Industrial (PSDI) e que, inclusive, está em processo de renovação do benefício. “Ficamos muito satisfeitos quando vemos uma empresa do porte da Ambev, que há tantos anos está em nosso Estado, gerando emprego e renda para a população e com auxílio do nosso PSDI”, finalizou.

Última atualização: 6 de agosto de 2021, 11:03

“Não vamos medir esforços para que a Mosaic continue gerando emprego e renda para a nossa população, movimentando a cadeia produtiva e contribuindo para que Sergipe se desenvolva ainda mais”, disse Belivaldo 

O governador de Sergipe, Belivaldo Chagas, recebeu no Palácio dos Despachos na manhã desta terça-feira (20), a CEO da Mosaic Fertilizantes, Corrine Ricard, e o vice-presidente de Operações da empresa, Elias Júnior, que detalharam os planos de investimentos no estado até 2023 e informaram a intenção de ampliação até 2026. Na reunião, o Governo do Estado reafirmou o ambiente favorável e apoio à empresa que produz e comercializa, mundialmente, fosfato e potássio combinados e atua desde 2018 em Sergipe, após ter assumido os ativos da usina Taquari Vassouras, em Rosário do Catete.

“A produção anual atual da empresa é de 360 mil toneladas de fertilizantes por ano, com expectativa de chegar a 500 mil, em um investimento previsto de R$ 247 milhões. Por isso, assim como fizemos com a Unigel, não vamos medir esforços para que a Mosaic continue gerando emprego e renda para a nossa população, movimentando a cadeia produtiva e contribuindo para que Sergipe se desenvolva ainda mais”, disse Belivaldo.

O governador afirmou o apoio do Governo, de acordo com todas as medidas legais, para que a Mosaic expanda sua produção. “Reafirmo meu compromisso com o desenvolvimento de Sergipe. Vamos colocar os técnicos do Governo à disposição para que se reúnam com os representantes da empresa e encontrem maneiras de facilitar a ampliação dos negócios, especialmente nas taxas de compra e restauração de máquinas e equipamentos utilizados na mineração e transporte”, pontuou.

Corrine Ricard destacou que o encontro foi excelente para dialogar sobre as oportunidades em Sergipe relacionadas à produção da empresa no estado. Já o vice-presidente de Operações da Mosaic, Elias Lima, aproveitou a ocasião para agradecer o apoio e a receptividade do Estado. “O apoio do governo é importante por conta dos incentivos fiscais e todos os esforços empreendidos nesse sentido. Nós estamos fazendo parte do plano de desenvolvimento de fertilizantes e é muito importante ver a mobilização do governo neste sentido. A Mosaic tem operações em Sergipe e está fazendo planos de desenvolver as instalações e conseguir fazer a expansão de nossas operações”, revelou.

A empresa também mostrou interesse em participar dos estudos para o projeto do Polo de Fertilizantes de Sergipe, desenvolvido a partir da parceria do Governo de Sergipe com a consultoria Mastersenso.

O superintendente Especial do Programa de Parcerias Público Privadas, Oliveira Júnior, explicou como o aumento da produção de fertilizantes impacta na economia sergipana. “Temos melhores perspectivas para o investimento da empresa na ampliação em Sergipe, e isso é extremamente importante, isso se coaduna muito com o projeto de transformar Sergipe em polo de fertilizantes e faz com que a nossa economia tenha sinais de uma participação nacional de produção agrícola”, disse.

Também participaram da reunião, o gerente-geral de Operações da Mosaic em Sergipe, Carlos Costa, e o diretor de Relações Governamentais e Sustentabilidade, Antônio Meirelles; os secretários estaduais José Augusto Carvalho (Sedetec) e Marco Antônio Queiroz (Sefaz); o superintendente de Comunicação, Givaldo Ricardo; e o diretor-técnico da Codise, Abner Melo.

Última atualização: 6 de agosto de 2021, 11:03

Objetivo foi observar o funcionamento das fábricas e convidar empresários para conhecer as vantagens de se instalar em Sergipe 

Com o objetivo de prospectar investimentos para o Estado, o presidente da Companhia de Desenvolvimento Econômico de Sergipe (Codise), José Matos, e o superintendente executivo da Secretaria do Desenvolvimento Econômico (Sedetec), Marcelo Menezes, acompanharam o deputado federal Laércio Oliveira, em visitas na segunda-feira (19) e terça-feira (20), ao maior polo ceramista do Brasil, na região de Rio Claro, Santa Gertrudes e Cordeirópolis, em São Paulo. 

O objetivo central das visitas foi a prospecção de investimentos para o setor em Sergipe, na perspectiva de fortalecer o mercado consumidor de gás natural, objetivando para dar uso à produção offshore no litoral do estado. Na segunda-feira os sergipanos fizeram uma visita ao Grupo Fragnani – Cerâmica INCEFRA, e também conheceram a matriz da Cerâmica Carmelo Fior (CECAFI), proprietária da Cerâmica Serra Azul, instalada no Distrito de Socorro. Na terça-feira (20), o grupo visita as Cerâmicas Almeida e Savane. 

Para o superintendente executivo da Sedetec, Marcelo Menezes, a visita representa “um trabalho importante para o desenvolvimento do estado, aproveitando os relacionamentos estabelecidos durante a articulação com os diversos agentes e setores empresariais para a aprovação da Lei do Gás”. José Matos, por sua vez, frisa que durante todas as visitas está sendo reforçado as vantagens de se instalar em Sergipe, e os benefícios que são oferecidos às empresas, a exemplo do Programa Sergipano de Desenvolvimento Industrial (PSDI). 

A série de visitas e reuniões teve intermédio da Associação Paulista de Cerâmica de Revestimento (ASPACER), que aproveitou o encontro para reconhecer o trabalho do Deputado sergipano na relatoria da Nova Lei do Gás. “Depois da aprovação da lei do gás, Sergipe virou a estrela do gás, por ter uma grande reserva do produto, que é bastante utilizado para produzir cerâmicas. Esse é mais um passo para o desenvolvimento do nosso estado”, afirma Laércio Oliveira.

Última atualização: 6 de agosto de 2021, 11:03

Com linhas de atuação em Meio Ambiente e Recursos Hídricos, o edital, coordenado pela Fapitec, busca contemplar pesquisadores com experiência profissional em Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (PD&I)

O Governo de Sergipe, por meio da Fundação de Apoio à Pesquisa e à Inovação Tecnológica do Estado (Fapitec), lançou em cerimônia interna, realizada na manhã desta quarta-feira (07), na sede da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia (Sedetec), um edital voltado à oferta de bolsas a pesquisadores, para execução de projetos em instituições públicas de pesquisa de Sergipe. A chamada é destinada a profissionais da área de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (PD&I), com candidatura reservada a doutores e atuação vinculada ao Instituto Tecnológico e de Pesquisas do Estado de Sergipe (ITPS).

Com valor total de R$ 320 mil, o edital oferece suporte financeiro através de Bolsa Estadual de Desenvolvimento Tecnológico Regional (DTR). A chamada conta com recursos do Fundo Estadual para o Desenvolvimento Científico e Tecnológico (Funtec), sob gestão da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia (Sedetec). “O objetivo do chamamento é estimular a atração e a fixação de recursos humanos qualificados e com experiência técnica no Estado”, explica o secretário da Sedetec, José Augusto Carvalho.

Serão selecionadas propostas de solicitação de bolsas para profissionais de diferentes níveis de formação, inscritas em duas linhas de pesquisa. São elas: Meio Ambiente (Linha 1) e Recursos Hídricos (Linha 2). Os projetos também deverão ser enquadrados em diferentes modalidades de acesso e formas de apoio. “Este é mais um Edital em que o Governo do Estado, por meio da Fapitec e órgãos parceiros, se mobilizam para promover o desenvolvimento das Pesquisas Científicas em Sergipe. Queremos ampliar e fortalecer essas atividades nas instituições públicas estaduais de pesquisa, e sem dúvida, este edital será uma grande ferramenta para isto”, completa o diretor presidente da Fapitec, Ronaldo Guimarães.

ITPS

O ITPS é uma das instituições que encabeçam a articulação do edital, sediando a execução dos projetos selecionados. De acordo com a diretora técnica, Lúcia Calumby, uma das vertentes de estudo inclusas no escopo da chamada pública diz respeito ao desenvolvimento de pesquisas relacionadas à presença de agrotóxicos em água e alimentos. 

“Através da linha de pesquisa ligada ao meio ambiente, iremos promover um monitoramento dos principais agrotóxicos, presentes nos alimentos, e na água, utilizados no celeiro produtivo do estado de Sergipe. Com isso, teremos um diagnóstico que demonstrará se os alimentos consumidos, dentro do estado estão  com a concentração de agrotóxicos no limite máximo permitido pela legislação, podendo assim serem tomadas medidas mitigadoras, visando a proteção da saúde humana e do meio  ambiente. Ainda por meio das bolsas e da chegada dos novos doutores, o ITPS poderá ampliar as suas ações de avaliação da qualidade dos mananciais sergipanos e passará a analisar a presença de compostos orgânicos em água, que são prejudiciais à população”, afirma.

Candidatura

O edital oferece até duas cotas de bolsa DTR para os primeiros candidatos classificados por um período máximo de 24 meses. Para cada bolsa DTR contratada, será concedido um auxílio à pesquisa no valor de até R$ 20 mil para aquisição de equipamentos, materiais bibliográficos e de consumo, e recurso para participação em eventos. Será permitida, ainda, a solicitação de uma bolsa de Desenvolvimento Tecnológico Industrial (DTI-1) com valor mensal de R$ 1.100 pelo período de 24 meses. Também será disponibilizada uma bolsa DTI-1 para acompanhamento do programa diretamente na Fapitec. 

Para ser considerada elegível, a candidatura deve ser submetida por pesquisador doutor com currículo Lattes atualizado, entre outros requisitos. Cada proponente poderá apresentar apenas uma proposta. A bolsa deverá estar obrigatoriamente vinculada ao projeto, à instituição de execução e ao supervisor do bolsista.  A proposta deve ser submetida sob a forma de projeto de pesquisa, cuja estrutura encontra-se detalhada no edital, e apresentada via E-DOC. O edital pode ser acessado no site fapitec.se.gov.br/editais-abertos/.

Última atualização: 20 de julho de 2021, 15:38

Durante o encontro, além de apresentar, conhecer as equipes e estreitar os relacionamentos, vários assuntos foram abordados, inclusive sobre a produção da UTE Porto de Sergipe l, em atendimento à ordem de despacho do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS)

Na manhã desta segunda-feira (5), o secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico, da Ciência e Tecnologia  de Sergipe, José Augusto Pereira de Carvalho, recebeu o novo presidente das Centrais Elétricas de Sergipe (Celse), Glauco Maximiano de Campos. Acompanhado do superintendente executivo da Sedetec, Marcelo Menezes, e dos presidentes da Codise, José Matos, e do SergipeTec, Eduardo Prado Melo, o gestor pode dialogar com o novo diretor da empresa sobre os projetos e as perspectivas da Celse para o futuro. A reunião contou ainda com a presença da gerente regulatória da empresa, Cristiane Araújo.

Durante o encontro, além de apresentar, conhecer as equipes e estreitar os relacionamentos, vários assuntos foram abordados, inclusive sobre a produção da UTE Porto de Sergipe l, em atendimento à ordem de despacho do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS).

Novos planos também foram discutidos, como a interiorização do Gás Natural Liquefeito (GNL), a conexão do terminal de GNL da Celse à malha de transporte, além de projetos de térmicas para os novos leilões.

De acordo com Marcelo Menezes, foi uma reunião produtiva e visionária para todos. “Colocamo-nos à disposição para novos contatos e para mantermos a parceria que o Estado e a Celse sempre tiveram no desenvolvimento da Termoelétrica Porto de Sergipe I, visando a implantação dos demais projetos em fase de estudo”, explicou.

Última atualização: 20 de julho de 2021, 15:38

O engenheiro Eduardo do Prado Melo é o mais novo diretor-presidente do Sergipe Parque Tecnológico (SergipeTec), assumindo o cargo nesta quarta-feira, 23. Eduardo Prado substitui o administrador Diego da Costa, que assumia a direção do órgão interinamente após a saída do ex-presidente Brenno Barreto.

A indicação de Eduardo Prado foi acolhida em assembleia após deliberação do Conselho de Administração do SergipeTec, presidido pelo secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia, José Augusto Carvalho. De acordo com o novo presidente, as atividades de pesquisas e inovação serão uma marca de sua gestão.

“Trabalho com inteligência artificial, tenho projetos na área de saúde e quero trazer tudo isso para o SergipeTec. Tenho o sonho de trabalhar firme nesse sentido, com o apoio da equipe, para pavimentar um caminho de futuro do SergipeTec em uma linha de alta tecnologia. Quero explorar algumas grandes áreas que serão saúde, energia e agricultura. Estou aqui para somar”, afirmou Eduardo Prado, cujo nome foi aprovado por unanimidade pelo Conselho.

Segundo José Augusto Carvalho, a indicação do novo diretor-presidente vem ao encontro das demandas atuais do Parque Tecnológico. “É alguém com um excelente currículo, com uma característica de empolgação pelo trabalho, da qual comungo”, pontuou.  

Na oportunidade, o ex-presidente interino agradeceu pelo período em exercício e desejou bom andamento aos trabalhos do SergipeTec com a nova titularidade. “Estou muito feliz por ter contribuído como diretor-presidente interino durante esse período. Volto à minha função de diretor-técnico do Parque, mas, com certeza, aberto a desafios. Desejo boas vindas a Eduardo”, destacou Diego da Costa.

Carreira

Eduardo do Prado Melo é mestre em Engenharia Elétrica pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (Coppe/UFRJ) e graduado em Engenharia Eletrônica (UFRJ). Atualmente, dedica-se ao desenvolvimento de pesquisas e projetos nas áreas de Inteligência Artificial, Internet das Coisas, Saúde, Agricultura e Telecomunicações. É diretor de negócios na empresa Brasilecia Sistemas de TI Ltda, tendo assumido cargos em diversas entidades da área de tecnologia.

Última atualização: 7 de julho de 2021, 18:06

Na ocasião, foi discutido o processo de licenciamento ambiental para o início das perfurações no segundo semestre deste ano

O Governo de Sergipe, por meio da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia (Sedetec), participou de uma reunião com representantes da empresa ExxonMobil, Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e demais órgãos interessados nos projetos de exploração de petróleo e gás que envolvem a Bacia Sergipe-Alagoas (SE-AL). Na ocasião, foi discutido o processo de licenciamento ambiental para o início das perfurações no segundo semestre deste ano. A reunião ocorreu na segunda-feira (28).

Em março, o Ibama divulgou o Relatório de Impacto Ambiental (Rima) da campanha de perfuração de um poço firme na Bacia SE-AL, desenvolvida pela empresa ExxonMobil. Além das reuniões prévias virtuais com os órgãos envolvidos, será realizada uma audiência pública com o objetivo de apresentar o projeto à população em geral e discutir os estudos realizados pela equipe técnica.

Segundo o secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico, da Ciência e Tecnologia, José Augusto Carvalho, os processos acontecerão de forma gradativa. “A reunião serviu para entendermos tudo o que envolve as perfurações, todos os riscos e as medidas para a redução delas. Com a licença em mãos, a empresa vai poder iniciar os trabalhos neste segundo semestre, avançando nos planos de perfuração do primeiro poço da Exxon na Bacia Sergipe-Alagoas”, afirmou.

A apresentação do diagnóstico de potencialidades e desafios coube a uma empresa multinacional de consultoria especializada em avaliação e gerenciamento de riscos e gestão ambiental. Na conclusão da exposição, foi apontada a inexistência de restrições à realização da perfuração nos seis blocos (SEAL-M-351, SEAL-M-428,SEAL-M-430, SEAL-M-501, SEAL-M-503 e SEAL-M-573) de responsabilidade da ExxonMobil, indicativo cuja viabilidade poderá ser confirmada pelo Ibama.

Poços

A ExxonMobil é responsável pela operação de nove blocos exploratórios na Bacia Sergipe-Alagoas em consórcio com a Enauta e a Murphy Oil, detendo 50% das concessões. A exploração de alto impacto de petróleo e gás no território sergipano através das ações do consórcio foi reconhecida pela imprensa especializada internacional como uma das 20 campanhas mais promissoras do segmento em todo o mundo no ano de 2021.

Última atualização: 7 de julho de 2021, 18:06

Nesta sexta-feira (02), o governador Belivaldo Chagas visitou a Cerâmica Serra Azul, empresa pertencente ao Grupo Carmelo Fior e instalada no Distrito Industrial de Nossa Senhora do Socorro. O grupo anunciou, em abril de 2021, a implantação de sua terceira linha de produção no estado. A expectativa é de que a nova linha entre em operação até o quarto trimestre deste ano. A ampliação representa um investimento estimado em R$ 60 milhões.

“Esta ampliação deve elevar a atual produção da fábrica de 2 para 3 milhões de metros quadrados de revestimento cerâmico por mês, transformando a unidade sergipana na maior fábrica da empresa. Já são 240 funcionários trabalhando, com a expectativa de geração de outros 100 empregos diretos e indiretos, aproximadamente. Fico muito orgulhoso da expansão deste empreendimento, que praticamente nasceu no nosso governo, e hoje já produz o equivalente a 80 caminhões de mercadoria por dia. Tudo isso é fruto do empenho do Estado, tanto através do Programa Sergipano de Desenvolvimento Industrial (PSDI), mas também de ações como a modernização regulatória no ramo do gás natural — que alimenta a fábrica, que é a principal cliente da Sergas no estado — e a redução do ICMS deste insumo para uso industrial”, pontuou o governador Belivaldo Chagas. 

Com a expansão, a empresa prevê um aumento de 50% em relação à geração de impostos estaduais, a exemplo do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) e do Fundo Estadual de Equilíbrio Fiscal (FEEF). A unidade também prevê aumento de 50% no consumo de energia elétrica e gás natural. Hoje, este consumo é da ordem de 2,50 MW por mês em energia e 1,78 milhões de metros cúbicos de gás mensais.

O gerente-geral da Cerâmica Carmelo Fior, Eduardo Roncoroni Fior, ressaltou o apoio do governo do Estado para a expansão da indústria. “É um investimento que nós estávamos aguardando para fazer há mais ou menos quatro ou cinco anos, mas, devido à recessão que o país teve, a empresa segurou o investimento para o momento adequado. O nosso principal foco é atender aos nossos clientes com a melhor qualidade e com a maior agilidade no menor prazo possível e, graças ao apoio que todo o governo nos concedeu desde quando chegamos aqui e agora no presente momento, as conversas que tivemos com Belivaldo e toda a sua equipe também, fortalecemos a nossa visão e a determinação de que fizéssemos o investimento aqui. Nosso objetivo é de que essa linha esteja em produção no quarto trimestre deste ano. O investimento aqui, hoje, é na ordem de R$ 60 milhões”, explicou. 

Empregos

Atualmente, a unidade está empregando diretamente 240 funcionários. Com a expectativa de gerar outros 100 empregos, aproximadamente, serão cerca de 340 gerados ao todo. Para Marcelo, 38 anos, técnico em segurança do trabalho, que trabalha na Cerâmica há dez anos, a expansão significa mais empregos e desenvolvimento para a região. “Nós temos a intenção de alavancar a produção mensal. Isso é muito importante para a geração de emprego aqui, na região. A gente tem a intenção de criar 100 empregos diretos e mais ou menos uns 40 indiretos com essa terceira linha, já que a gente tem uns terceirizados que trabalham para a gente a aração da argila. Moro aqui em Socorro e a fábrica foi muito importante para a minha vida, para o desenvolvimento profissional, crescimento pessoal e aprendizado”, frisou. 

De acordo o secretário de Estado da Fazenda, Marco Antônio Queiroz, a ação é fruto do compromisso do governador e sua política econômica de incentivar a geração de empregos e renda para os sergipanos.  “A empresa faz parte do PSDI, que é um programa de subsídio de desenvolvimento da indústria em Sergipe. É claro que, quando você aumenta a produção, também gera imposto, mas esse programa decididamente é o melhor do Brasil porque o governo estimula a contratação de empregados e estimula o aumento da produção sem olhar tanto a arrecadação. Nós temos essa compreensão de que a indústria tem um uso intensivo de mão de obra e, em um momento em que o desemprego é uma realidade no Brasil, o governo tem esse olhar. Então, nós temos a satisfação de ver quando uma indústria pega aquele componente da renúncia fiscal responsável. Ela utiliza para investir, para gerar novos empregos”, disse.

Governo

A assinatura do protocolo de intenções entre a empresa e o Governo de Sergipe para o projeto de expansão ocorreu em dezembro de 2019. Desde então, a gestão estadual vem avançando no fortalecimento do setor, com ações como a modernização regulatória no ramo do gás natural e a redução do ICMS deste insumo para uso industrial. O anúncio também se relaciona diretamente com a recente aprovação da nova Lei do Gás (Lei 14.134), ocorrida em abril, que vem gerando boas perspectivas ao segmento.

“Para o estado é uma coisa muito animadora por conta dos empregos, pois praticamente dobra a produção. A legislação, assinada pelo governador Belivaldo, foi uma antecipação para a chegada do gás. O gás é o insumo mais caro para a produção da cerâmica. Ele representa 30% do custo. Quando o governo do Estado reduziu o ICMS do gás, foi significativo, decisivo pra a expansão da empresa”, disse o secretário de Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia, José Augusto Carvalho.
 
Junto com a Indústria Vidreira do Nordeste (IVN), localizada em Estância, a Cerâmica Serra Azul é a maior consumidora de gás natural de Sergipe, mesmo antes da ampliação. Segundo o diretor-presidente da Sergas, Valmor Barbosa, a distribuidora de gás canalizado vem sempre dialogando com a Serra Azul e com as outras empresas consumidoras de gás no intuito de oferecer melhores condições e estimular o mercado. “Hoje, aqui, nós visitamos essa ampliação, e a importância da nova lei do gás é justamente essa, porque vai criar um mercado mais competitivo, de mais oportunidade, de mais supridores do gás. Isso para a competitividade, para o comércio e para a indústria é muito importante, porque o gás é um energético de transição, o gás é importantíssimo. Essas grandes indústrias, principalmente a siderúrgica, a cerâmica e a vidreira necessitam dessa matéria-prima”, destacou. 
 
A Serra Azul é a segunda indústria que anuncia expansão dos negócios em Sergipe graças à política fiscal que tem sido adotada pelo Estado. Em outubro de 2020, a IVN iniciou suas operações de expansão com aumento de 70% da capacidade produtiva, investindo R$ 100 milhões e aumentando o quadro de trabalhadores de 140 para 300.

As ações de apoio ao setor industrial adotadas pelo Governo de Sergipe incluem ainda o PSDI, que oferece incentivos fiscais e locacionais como suporte a empresas novas e já instaladas no estado.

Também estiveram presentes na visita o prefeito Padre Inaldo (Nossa Senhora do Socorro), o deputado federal Laércio Oliveira, que foi relator da Lei do Gás no Congresso Nacional; o superintendente executivo da Sedetec, Marcelo Menezes; o diretor-presidente da Companhia de Desenvolvimento Econômico de Sergipe (Codise), José Matos; os ex-prefeitos Zé Franco e Tonho da Caixa (Socorro); além de outras lideranças da região.

Carmelo Fior e Serra Azul

A Cerâmica Serra Azul integra o portfólio do Grupo Carmelo Fior, empresa do setor cerâmico fundada em 1989. Com matriz localizada no município de Cordeirópolis, região central de São Paulo, a Carmelo Fior conta com cinco marcas e possui quatro unidades fabris nos estados de São Paulo, Sergipe e Santa Catarina. O grupo está entre os seis maiores produtores de cerâmica do mundo.

A fábrica Serra Azul é a terceira unidade da empresa e atende às regiões Norte e Nordeste. Instalada em Sergipe desde 2010, a indústria conta com jazidas próprias e maquinários de alta tecnologia e precisão, produzindo a cartela de revestimentos da marca Arielle.

Última atualização: 7 de julho de 2021, 18:06