Governador Fábio Mitidieri destaca geração de 1.500 empregos com reativação do complexo industrial no estado

Grupo Polimix adquiriu unidade de produção de cimento da antiga Nassau, em Nossa Senhora do Socorro; produção deve começar em seis meses

Sergipe voltará a ter protagonismo na produção de cimento na região Nordeste. Nesta segunda-feira, 26, o governador Fábio Mitidieri, a primeira-dama Érica Mitidieri e o secretário de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia, Valmor Barbosa, receberam o grupo Polimix, que irá investir R$ 600 milhões na reativação do complexo industrial de uma fábrica de cimento localizada em Nossa Senhora do Socorro, na região metropolitana de Aracaju.

O empreendimento irá gerar cerca de 1.500 empregos diretos e indiretos. A licença ambiental emitida pela Administração Estadual do Meio Ambiente (Adema) e a resolução do Conselho de Desenvolvimento Industrial (CDI), que concede à empresa incentivo fiscal, por meio do Programa Sergipano de Desenvolvimento Industrial (PSDI), já foram entregues à empresa.

A unidade industrial passará por um período de revitalização e modernização, visto que a fábrica está fechada há mais de sete anos, e as operações estão previstas para serem iniciadas em seis meses. Nesta primeira fase, o clínquer, principal matéria-prima da produção do cimento, será fornecido por outras unidades industriais do grupo e, após mais seis meses, passará a ser produzido na unidade industrial de Socorro, o que posicionará Sergipe como um dos maiores produtores de cimento da região Nordeste. Sergipe já sedia unidades da Mizu e da Votorantim.

O governador Fábio Mitidieri comemorou a chegada do grupo e a recolocação do estado no cenário de produção de cimento e destacou a política estadual de captação de investimento alinhada ao Programa Primeiro Emprego, o qual desenvolverá parceria com a Polimix.

Segundo Fábio Mitidieri, a retomada da fábrica no estado vai garantir geração de empregos e receita para Sergipe. “Nós estamos falando aqui, entre empregos diretos e indiretos, 1500 empregos, o que é muito representativo para o nosso estado e, principalmente, para Nossa Senhora do Socorro, uma das maiores cidades de Sergipe”, sintetizou o chefe do Executivo estadual. 

O diretor de operação empresarial do grupo Polimix, José Antero dos Santos, ressaltou a importância da implantação do empreendimento no estado. “Vai posicionar Sergipe novamente como um dos maiores produtores de cimento da região”, indicou.

Programa Primeiro Emprego

A fim de promover a inserção e a capacitação de jovens sergipanos no mercado de trabalho, a retomada da fábrica em Sergipe também integrará o Programa Primeiro Emprego (PPE), coordenado pela Secretaria de Estado do Trabalho, Emprego e Empreendedorismo (Seteem). O PPE foi lançado no dia 21 de agosto de 2023, com o objetivo do projeto é qualificar a mão de obra sergipana e facilitar o ingresso de jovens no mercado de trabalho, evitando o desemprego. 

De acordo com o secretário de Estado do Trabalho, Emprego e Empreendedorismo, Jorge Teles, a empresa precisa de mão de obra qualificada para atender à demanda. “A planta industrial vai passar por um processo de revitalização e recuperação, já que está deteriorada. Nós estamos firmando uma parceria para a qualificação dessa mão de obra de acordo com a necessidade da empresa. Vamos formar esses profissionais”, disse.

O secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia, Valmor Barbosa, ressaltou que todo o secretariado do governo está imbuído na missão de promover o desenvolvimento do estado, e que a retomada da fábrica trará diversos benefícios para Sergipe. “O Programa Primeiro Emprego vai se encaixar muito bem nas contratações da fábrica. O estado capacita os jovens e a empresa vai ter profissionais qualificados para atuar”, acrescentou. 

Histórico

A planta, que pertenceu ao Grupo João Santos e operava com a marca Nassau, passou por leilão e foi objeto de discussão judicial, tendo sido emitida, neste mês de fevereiro, a carta de arrematação pelo Tribunal Regional do Trabalho – 20ª Região. O complexo foi arrematado em julho de 2022 pelo grupo Polimix, que já opera em Sergipe em uma unidade no município de Pacatuba, com a marca Mizu.

Já no mês de agosto de 2022, o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia (Sedetec), firmou um Protocolo de Intenções com a IRO Industrial, que, além de oferecer a possibilidade de obtenção de benefícios fiscais, desde que devidamente aprovados, colocava o Estado como interlocutor, no sentido de buscar soluções, nos limites de sua competência, junto aos órgãos federais, estaduais e municipais, para a revitalização e entrada em operação do empreendimento.

Em fevereiro de 2023, o gestor da Sedetec, Valmor Barbosa e o secretário-executivo da pasta, Marcelo Menezes, estiveram na fábrica de cimento para conhecer a sua estrutura e verificar os preparativos para o início dos trabalhos de revitalização do complexo industrial, que se encontrava totalmente paralisado há mais de sete anos.

Última atualização: 5 de março de 2024 11:21.

Pular para o conteúdo