Sedetec dialoga com representante da fábrica de cimento CSN

Empresa tem intenção de se instalar em Maruim

O secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia (Sedetec), Valmor Barbosa, o superintendente executivo da pasta, Marcelo Menezes, e o assessor especial do gabinete, Haroldo Barros, se reuniram na segunda-feira, 20, com o representante da indústria de cimento CSN, Luiz Alpes, para dialogar a respeito do andamento do projeto de implantação de uma fábrica cimenteira no município de Maruim.

Na oportunidade, a equipe da Sedetec reforçou a importância estratégica da concretização do projeto para a geração de emprego e renda para a população sergipana, em especial de Maruim e região. “Este é um projeto prioritário para o governador Fábio Mitidieri e para nós, na Sedetec. Fizemos um primeiro contato com a empresa, através de ofício, e agora recebemos a visita do representante da empresa, Luiz Alpes, que veio falar sobre as estratégias em desenvolvimento para consolidação de aquisições feitas recentemente. A CSN Cimento solicitou o agendamento de uma audiência com o governador, a fim de alinhar as tratativas”, explicou o secretário da Sedetec, Valmor Barbosa. 

Valmor Barbosa comentou ainda que recebeu sinalização positiva da empresa quanto à manutenção do projeto de Maruim nos planos de investimento da companhia. 

Na ocasião, o secretário reafirmou o compromisso da Sedetec e a Companhia de Desenvolvimento Econômico de Sergipe (Codise), de prestar todo o apoio e contribuições cabíveis às ações demandadas pela CSN, em especial em relação ao Programa Sergipano de Desenvolvimento Industrial (PSDI).

Histórico

As tratativas para implantação de uma fábrica de cimento em Maruim estão em andamento desde 2018. O Governo do Estado, por meio da Administração Estadual do Meio Ambiente (Adema), emitiu a licença de instalação para que a indústria seja construída em uma área do Complexo Industrial Portuário em fevereiro de 2020. O empreendimento deve resultar em um investimento de mais de um bilhão de reais. O complexo cimenteiro será composto por lavra de calcário e argila para beneficiamento em fábrica de cimento, em uma área total de 560 hectares.

A expectativa é que haja a geração de 2.500 empregos diretos e 10.000 indiretos na fase de construção da fábrica. Esse número poderá ser de 500 empregos diretos e 2.000 indiretos com a conclusão da obra e início de operação. Quando estiver em operação, serão produzidas, por ano, cerca de 2,8 milhões de toneladas de cimento. Entre os fatores que foram decisivos para escolha de Maruim como local de instalação da fábrica estão a grande disponibilidade de energia e de gás natural existente no estado, além da riqueza mineral do solo da região de Maruim, onde predomina argila e calcário, matérias-primas para o cimento.

Última atualização: 5 de abril de 2023 19:42.

Pular para o conteúdo