9 de outubro de 2017, 10:05

Sedetec recebe representante da Israel Trade & Investment em reunião para viabilidade de negócios:


Conectar oportunidades entre Israel e Brasil e implantar acordos bilaterais entre os dois países. Com esse propósito a representante da Israel Trade & Investment, Sheila Golabek, esteve em Sergipe nessa quinta e sexta, 05 e 06 de outubro, para cumprir uma agenda de reuniões e visitas, a convite do Departamento Técnico (DET) da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia (Sedetec). A Israel Trade & Investment é uma instituição que faz parte do Departamento de Comércio Exterior do Ministério de Economia de Israel e tem escritórios em São Paulo, no Rio de Janeiro e no Nordeste, além da Embaixada de Israel, em Brasília.

Em seu primeiro compromisso em Sergipe, Sheila Golabek foi recebida na Sedetec pela diretora do DET, Sudanês Pereira e equipe técnica, além do presidente da Codise, Eugênio Dezen, do SergipeTec, Manoel Hora, acompanhados de técnicos dos dois órgãos e de representantes da Secretaria Municipal de Indústria e Comércio, da Prefeitura de Aracaju. Durante a reunião, os técnicos Magaiver Correia e Caio Lucas fizeram uma breve apresentação mostrando as potencialidades econômicas de Sergipe, bem como aspectos geográficos, os incentivos que oferece para as empresas que venham se instalar no Estado, dados sobre a balança comercial sergipana e as oportunidades de negócios locais.

Para a representante da instituição israelense, foi uma ótima oportunidade para detectar as possibilidades de investimentos em Sergipe e colocar o Estado no rol dos projetos previstos pela Israel Trade & Investment. “Minha missão é de apresentar o país de uma forma geral e estabelecer relações bilaterais nas áreas comercial e de cooperação técnica, abrindo esse canal de comunicação entre as duas localidades”, destacou Sheila, ao observar que nesses 70 anos de existência, Israel é um país relativamente jovem, mas que preza pela qualidade em tudo, com foco na economia e no desenvolvimento e de um povo muito empreendedor. “Somos o primeiro do mundo em qualidade nas instituições científicas”, reforçou.