31 de outubro de 2022, 10:32

Site norueguês especializado em petróleo e gás destaca preparação da Petrobras para Projeto Sergipe Águas Profundas


Publicação informa que a Petrobras está nos trâmites finais para licitação de FPSO’s

Matéria divulgada no início do mês, pelo site norueguês Upstream Online, informa que a Petrobras está em processo de finalização para o lançamento da licitação para duas unidades flutuantes de produção, armazenamento e transferência (FPSO’s) para o projeto Sergipe Águas Profundas (SEAP), localizado na bacia Sergipe-Alagoas. A previsão da petrolífera para o lançamento da concorrência é para o início de novembro.

As especificações da licitação para a capacidade de processamento da primeira unidade é de 120 mil barris de petróleo por dia e 10 milhões de metros cúbicos de gás natural por dia. Já a segunda unidade será um pouco maior, com capacidade 120 mil barris de petróleo/dia e 12 milhões de metros cúbicos de gás/dia. Além disso, o SEAP contará com um gasoduto de escoamento com 128 km de extensão, sendo 100 km no mar e 28 km em terra;

Espera-se que algumas empresas sejam convidadas a participarem da licitação, como a empresa japonesa Modec, a holandesa SBM Offshore, a norueguesa BW Offshore; os grupos malásios MISC e Yinson Holdings; a canadense Altera Infrastructure e a brasileira Ocyan.

O planejamento para o início da produção do SEAP era, originalmente, para 2026, contudo, após o cancelamento da primeira licitação, a previsão é de que tenha início apenas em 2027. O superintendente executivo da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia (Sedetec), Marcelo Menezes, comentou sobre a expectativa do Governo do Estado para o início da produção.

“A ida ao mercado para encomenda dos FPSO’s é uma etapa fundamental do processo de tomada de decisão de investimento da Petrobras do projeto Sergipe Águas Profundas. A partir dessa definição, deve ser dada a partida das diversas contratações de equipamentos, materiais e obras para implantação do SEAP, passando a ter um cronograma de implantação e uma previsão mais precisa do início da operação”, informa Marcelo Menezes.

Segundo fontes relataram para o Upstream, a empresa petroleira brasileira pretende instalar os FPSO’s em 2.500 metros de água e com uma vida útil de 30 anos, porém os contratos de afretamento oferecidos são de 20 a 25 anos. Além disso, conforme descrição técnica, a Petrobras aceitará navios com capacidade mínima de armazenamento de 1,4 milhões de barris por dia.

Matéria produzida em outubro de 2022