Debate sobre revisão de contrato do gás canalizado em Sergipe ganha destaque nacional

Proposta de audiência pública foi reconhecida pelo Fórum das Associações Empresariais Pró-Desenvolvimento do Mercado de Gás Natural

Sergipe obteve reconhecimento nacional pela iniciativa de promover a audiência pública com o intuito de discutir a revisão do contrato de concessão dos serviços locais de gás canalizado. A ação foi alvo de manifestação favorável do Fórum das Associações Empresariais Pró-Desenvolvimento do Mercado de Gás Natural (Fórum do Gás), publicada na quarta-feira, 19. Segundo a entidade, o estado tem papel pioneiro em diversas medidas estratégicas que beneficiam o segmento.

A audiência pública n° 01/2024, proposta via Agência Reguladora de Serviços Públicos do Estado de Sergipe (Agrese), busca debater com os agentes de mercado o contrato firmado com a concessionária local, a Sergipe Gás (Sergas), há 30 anos. Nesse sentido, a manifestação do Fórum do Gás destaca o protagonismo de Sergipe em direção a um novo marco regulatório. “O modelo de contrato de Sergipe é similar ao adotado em muitos outros estados, e uma discussão aprofundada sobre ele certamente chamará a atenção além das fronteiras de Sergipe, podendo servir de referência regulatória do país”, sublinhou o coordenador geral do Fórum, Lucien Belmonte.

Ainda segundo Lucien, as discussões sobre contratos de concessão contribuem para a competitividade do gás natural e para a expansão do mercado consumidor nacional. Para tanto, na visão do Fórum, é cabível a revisão de todas as componentes do processo final, incluindo molécula, escoamento, processamento, transporte, distribuição e impostos. “A audiência se trata de uma medida que promove ampla discussão com os agentes setoriais sob um aspecto essencial e necessário, especialmente considerando que o referido contrato, firmado há mais de 30 anos, não atende mais às necessidades atuais e que, por sua vez, demandam a promoção do desenvolvimento do setor e a redução dos preços para os consumidores finais. A iniciativa representa um grande passo na direção certa, que deve ser perseguido por todos os agentes da cadeia, que buscam o desenvolvimento eficiente do setor”, resumiu Lucien Belmonte.

Articulação

A articulação do Governo de Sergipe que resultou na proposta da audiência pública vem sendo conduzida em diversas frentes, a partir de pesquisas direcionadas. “Um dos elementos que respalda a necessidade da presente discussão foi o estudo desenvolvido pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), intitulado ‘Análise do Impacto Econômico dos Investimentos de Óleo e Gás no Estado de Sergipe’. Esse diagnóstico revelou as principais oportunidades e barreiras do setor, apresentando recomendações com relação à necessidade de discutir o modelo de contrato no estado. Esse debate está alinhado com o momento atual, em que Sergipe está diante de se tornar um grande hub de gás”, afirmou o titular da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia (Sedetec), Valmor Barbosa.

Ainda segundo o secretário da Sedetec, a proximidade da inauguração do gasoduto da TAG, que deverá conectar o terminal de GNL da Eneva à malha nacional, viabilizará novas operações a partir de Sergipe. O evento de conclusão da obra de implantação do gasoduto, que possui 25 km de extensão, diâmetro de 24 polegadas e capacidade de 14 MM m3/dia, está previsto para 23 de julho.

“A manifestação do Fórum reforça a certeza da Agrese na importância da convocação da audiência pública. Então, a audiência está no caminho certo, uma vez que envolve todos os agentes e setores do gás. Isso mostra a necessidade de discutir o contrato de concessão”, pontuou o diretor-presidente da Agrese, Luiz Hamilton Santana de Oliveira. A expectativa da entidade é de que diversas contribuições e incrições para participação presencial sejam alcançadas.

Fórum do Gás

O Fórum das Associações Empresariais Pró-Desenvolvimento do Mercado de Gás Natural iniciou suas atividades no início de 2012, com o objetivo de discutir e propor medidas de estímulo ao setor, buscando expandir e diversificar a oferta e elevar a competitividade do gás natural no país. Este Fórum congrega 19 associações, que atuam em diversos segmentos da cadeia: consumo, produção, comercialização, autoprodução, cogeração e geração de energia elétrica, os quais têm o gás natural como um recurso estratégico no desenvolvimento de suas atividades.

Sedetec sedia lançamento oficial do Sergipe Oil & Gas 2024

Evento é destinado a agentes do setor energético, empresas e entidades públicas

Nesta quinta-feira, 13, será lançado oficialmente o Sergipe Oil & Gas (SOG) 2024. O evento é organizado pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia (Sedetec), e pelo SOG. O lançamento, que ocorrerá no auditório do Complexo de Desenvolvimento Econômico de Sergipe, reunirá parceiros, instituições, empresas e representantes do setor de óleo e gás para apresentar o novo formato e as novidades da terceira edição.

O evento de lançamento contará com as participações do secretário do Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia, Valmor Barbosa; do secretário-executivo da Sedetec, Marcelo Menezes; de representantes do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae Sergipe); do Banco do Nordeste (BNB) e das empresas Eneva e Carmo Energy. Também conduzirão apresentações os realizadores do SOG, Eduardo Aragon e Rodrigo Valverde Souto, e os idealizadores do Energy Legal Talk.

Durante o evento, os participantes terão a oportunidade de interagir com os principais stakeholders do setor e conhecer em primeira mão as inovações e os destaques da edição de 2024 do SOG.

As inscrições para o evento de lançamento do Sergipe Oil & Gas 2024 são gratuitas e limitadas. Inscreva-se: https://linktr.ee/sergipeoilgas

Sergipe Oil & Gas

O Sergipe Oil & Gas é um evento de referência no setor de óleo e gás em Sergipe, reunindo profissionais, empresas e instituições para discutir tendências, compartilhar conhecimentos e impulsionar o desenvolvimento do segmento na região. Entre os dias 24 e 26 de julho de 2024, sua terceira edição acontecerá no Centro de Convenções AM Malls, em Aracaju.

A edição de 2023 do Sergipe Oil & Gas atraiu 609 participantes de 336 empresas, vindos de 15 estados brasileiros e dois países. Neste ano, o evento pretende fortalecer ainda mais os laços entre o setor empresarial local e os demandantes de serviços, promovendo o desenvolvimento sustentável da indústria de óleo e gás em Sergipe.

Para mais informações e inscrições, acesse www.sergipeoilgas.com.br.

Estado alinha diretrizes sobre o Novo Processo de Importação

Iniciativa tem o objetivo de alavancar o comércio exterior sergipano

Diante do trabalho realizado pelo Governo de Sergipe para alavancar a economia do Estado, a Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia (Sedetec) esteve reunida nesta segunda-feira, 3, com a Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz), a Receita Federal e o Banco do Estado de Sergipe (Banese). O objetivo do encontro foi discutir sobre o modelo e o cronograma do Novo Processo de Importação em nível nacional, com a ampliação da Declaração Única de Importação (Duimp). A reunião ocorreu na sede da Sedetec.

A articulação entre as instituições para a implantação da Duimp tem como finalidade o impulsionamento do comércio exterior sergipano. Além disso, os gestores dos órgãos buscaram alinhar, durante a reunião, a integração dos bancos de dados com o do Portal Único de Comércio Exterior.

“Além de atuar na digitalização dos processos, o intuito é que os documentos sejam originados eletronicamente com acesso compartilhado de todos os entes interessados. O processamento antecipado das declarações de importação reduz o tempo de resolução e impacta em margens de arrecadação, gerando eficiência”, declarou o auditor fiscal da Receita Federal Gustavo Muniz, durante a apresentação do Novo Processo de Importação.

A perspectiva é de que a implantação do novo sistema diminua o tempo logístico e traga competitividade para Sergipe. Além disso, o processo deve ampliar as divisas do estado, impulsionando o desenvolvimento econômico.

O secretário do Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia, Valmor Barbosa, explica que a reunião é fruto de um diálogo iniciado anteriormente. “A Receita Federal nos trouxe informações e nós tratamos de ampliar esse debate, chamando a Sefaz e o Banese. Com isso, vemos que estamos no caminho certo, aproveitando as janelas de oportunidade e contribuindo para projetar o estado”, colocou.

“Os dados trazidos na apresentação confirmam que a iniciativa está alinhada com o planejamento estratégico da Sefaz e do Governo de Sergipe, que é facilitar a vida do contribuinte. Nos colocamos à disposição para avançar nesse projeto”, ressaltou o secretário em exercício da Sefaz, Laércio Marques.

Sistema Sedetec inova no ‘Sergipe é aqui’ em Tomar do Geru com análise de pó de rocha

Novidade foi levada para a 28ª edição do programa de governo itinerante por meio do ITPS, que esteve ao lado da Codise e do SergipeTec na programação

Os moradores que compareceram nesta quarta-feira, 29, ao entorno do Mercado Municipal Pedro de Balbino, no centro da cidade de Tomar de Geru, puderam usufruir de mais de 160 serviços oferecidos pelo Governo do Estado sem precisar se deslocar para a capital. A iniciativa faz parte do programa itinerante ‘Sergipe é aqui’, que tem como objetivo descentralizar os serviços estaduais, ofertando atendimentos e melhorando a qualidade de vida dos sergipanos. Dentre a gama de ações estão incluídas aquelas oferecidas pela Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia (Sedetec) e suas vinculadas.

Uma das novidades da edição foi trazida pelo Instituto Tecnológico e de Pesquisas do Estado de Sergipe (ITPS), com a análise do pó de rocha. Quem explica a ação é Débora Feitosa, coordenadora do Laboratório de Ensaios Inorgânicos do Instituto. “A análise de pó de rocha é uma crescente no mercado, já que Tomar do Geru é conhecido por ter pedreiras e pela produção de brita e paralelos. O pó de rocha geralmente é descartado, e a gente está incrementando na produção agrícola como uma forma de mineralizar o solo”, descreveu.

Durante o evento, o ITPS também atuou no recolhimento de amostras de solos para análise gratuita. Foram oferecidas, ainda, informações sobre análise foliar e sobre a qualidade da água utilizada em alimentos. Para a agente comunitária de saúde Érika Santos Matos, que reside na zona rural de Tomar do Geru, esses conhecimentos podem impactar positivamente a comunidade local.

“Quero parabenizar toda a gestão que promoveu esse evento maravilhoso. Também sou agricultora e acabei vindo aqui tirar uma dúvida com o pessoal do ITPS sobre solo, para fazer a análise. Gostei muito, foi muito proveitoso. Só tenho a agradecer. Com certeza, com essas informações que adquiri aqui, vou produzir melhor lá na minha terra, saber trabalhar com os produtos e com a agricultura”, avaliou.

Serviços

O Sergipe Parque Tecnológico (SergipeTec) também esteve presente no ‘Sergipe é aqui’, e apresentou protótipos voltados à geração de energia, além de distribuir panfletos institucionais. A pesquisadora Amanda Gonçalves, do SergipeTec, detalhou o conteúdo das maquetes. “São duas: uma que representa uma usina fotovoltaica e outra que mostra a produção de hidrogênio verde. Esses protótipos estão ligados porque o hidrogênio é classificado como energia verde, já que é produzido através de uma alimentação de energia renovável, como é o caso da fotovoltaica”, pontuou. Além de Amanda, a pesquisadora Samia Maciel representou o SergipeTec no evento.

A estudante Hanna Santos, que cursa o segundo ano do ensino médio no Centro de Excelência Dom José Vicente Távora, elogiou a explicação sobre os protótipos. “Achei interessante, porque elas falaram que o hidrogênio pode ser usado em diversas coisas, como margarina, cimento, aço e até carros”, comentou.

A Companhia de Desenvolvimento Econômico de Sergipe (Codise) também fez parte do ‘Sergipe é aqui’. A instituição desempenhou papel fundamental na busca por oportunidades de negócios na cidade, através da divulgação das vantagens do Programa Sergipano de Desenvolvimento Industrial (PSDI), bem como suas modalidades de incentivo.

Sedetec participa de audiência pública na Alese sobre zoneamento industrial e desenvolvimento econômico

Apresentação da secretaria atendeu a pedido do deputado estadual Adailton Martins e expôs áreas potenciais para a atração de indústrias

Está em andamento o projeto de zoneamento do Complexo Industrial Portuário de Sergipe. A ação busca definir as áreas mais atrativas em cada um dos dez municípios que integram o Complexo, a fim de oferecer condições para a instalação e ampliação de indústrias. Nesta segunda-feira, 27, a iniciativa foi pauta de apresentação do Governo de Sergipe, via Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia (Sedetec), em audiência pública na Assembleia Legislativa de Sergipe (Alese).

Criado pela Lei Estadual N° 8569/2019, o Complexo Industrial Portuário engloba os municípios mais próximos ao Terminal Marítimo Inácio Barbosa (TMIB): Barra dos Coqueiros, Maruim, Santo Amaro das Brotas, Laranjeiras, Rosário do Catete, Capela, Carmópolis, Japaratuba, General Maynard e Pirambu. O espaço abrange mais de 175 mil habitantes e gera cerca de 20 mil empregos formais. O zoneamento busca estabelecer locais de interesse para a implantação de distritos e núcleos industriais nesses territórios municipais. Para tanto, leva em conta a proximidade de outros canais de escoamento, como rodovias nacionais e estaduais, além de insumos.

A estruturação do Complexo Industrial Portuário, incluindo seu zoneamento, tem como finalidade maior o desenvolvimento econômico e a criação de emprego e renda para os sergipanos. Isto é o que afirma o secretário do Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia, Valmor Barbosa, que destacou as potencialidades energéticas e industriais de Sergipe durante a apresentação às lideranças.

“Em 2021, quatro municípios integravam o Complexo. O número subiu para dez, porque entendemos que cada município, com sua vocação, tem muito a contribuir nessa poligonal. A Barra dos Coqueiros, por exemplo, sedia a maior termelétrica privada do país e abriga nosso porto. Temos oportunidades no setor de petróleo e gás, com o programa Sergipe Águas Profundas (Seap), entre outras matrizes energéticas. Com isso, novas empresas vêm procurando o estado para aumentar seu parque fabril, buscando a segurança jurídica e a modernidade regulatória que o estado vem proporcionando”, colocou.

O zoneamento parte de um estudo geográfico com sobrevoo. O consultor Celso Hiroshi Hayashi, responsável pela pesquisa, salientou o potencial sergipano em minérios. “Sergipe é rico em recursos como calcário, argila, sais e, claro, petróleo e gás. Com isso, buscamos achar locais adequados à implantação de distritos industriais, considerando pleitos como a proximidade de dutos e a contiguidade entre as áreas em cada município”, disse.

Além do secretário Valmor Barbosa, estiveram presentes na audiência o secretário-executivo da Sedetec, Marcelo Menezes; o presidente da Companhia de Desenvolvimento Econômico de Sergipe (Codise), Ronaldo Guimarães; o presidente da Fundação de Apoio à Pesquisa e à Inovação Tecnológica do Estado de Sergipe (Fapitec/SE), Alex Garcez; e o diretor de Planejamento da Sedetec, Maurício Nascimento.

Áreas industriais e PSDI

Ao todo, Sergipe mantém oito Distritos Industriais: dois na capital e os demais nos municípios de Estância, Propriá, Boquim, Itabaiana, Simão Dias e Tobias Barreto. Há, ainda, 16 núcleos industriais, que se espalham por diversas cidades sergipanas. Esses espaços abrigam indústrias que recebem incentivos locacionais do Governo do Estado, concedidos por meio do Programa Sergipano de Desenvolvimento Industrial (PSDI).

Além de incentivos locacionais, o PSDI oferece apoio fiscal e estrutural. O programa é conduzido pela Codise e incentiva 430 empresas sergipanas.

Governo de Sergipe participa de agendas sobre o segmento energético em Foz do Iguaçu

Fórum discutiu temas relevantes sobre fontes renováveis e energia limpa

O Governo de Sergipe segue focado na construção de um plano de transição energética para o estado. Com o propósito de compartilhar conhecimento nesse setor, nos dias 22 e 23 de maio, a Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia (Sedetec) e a Companhia de Desenvolvimento Econômico de Sergipe (Codise) participaram de agendas relacionadas ao desenvolvimento energético em Foz do Iguaçu/PR. Na pauta, estiveram a assembleia ordinária do Fórum Nacional dos Secretários Estaduais de Minas e Energia (FNSME) e o evento CIBiogás Conecta, promovido pela empresa CIBiogás Energias Renováveis.

Fizeram parte dos assuntos debatidos no fórum durante a terça-feira, 22, projetos envolvendo gás natural, biomassa, biogás e biometano. As Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCHs), a descarbonização do transporte e os corredores sustentáveis também foram tema de debate. A programação incluiu ainda visitas técnicas, a exemplo da Usina Hidrelétrica Binacional de Itaipu.

“A agenda promovida pelo Fórum Nacional de Secretários foi uma experiência enriquecedora. Participamos de importantes discussões e visitas voltadas ao desenvolvimento energético. Esses encontros são fundamentais para visualizarmos na prática as tecnologias e inovações que estão moldando o futuro do setor energético no Brasil”, declarou o secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia, Valmor Barbosa.

Na quarta-feira, 23, a Sedetec e a Codise marcaram presença no CIBiogás Conecta, evento que reuniu empresas e agentes públicos com interesse no segmento de biogás e biometano. A programação do encontro contou com a apresentação de paineis sobre o panorama do biogás no Brasil, atributos do biogás e biometano e ambiente de tributos. Após as discussões, os participantes seguiram para visitas técnicas.

“As fontes renováveis já são uma realidade em nosso país. Portanto, o CIBiogás busca contribuir significativamente para a transição energética, ampliando as oportunidades e promovendo o uso de energia limpa através do biogás e biometano. Hoje, tivemos a chance de entender melhor o papel do CIBiogás nessas áreas”, explicou o presidente da Codise, Ronaldo Guimarães.

Plano de Transição

A articulação em torno da construção do Plano de Transição Energética de Sergipe vem ocorrendo desde janeiro, com o envolvimento da Sedetec e de diversos outros atores do Governo de Sergipe. Entre as áreas mapeadas como potenciais, destaca-se a geração de biometano, através de aterros sanitários, além da produção de Hidrogênio Verde, através das plantas macrófitas nos lagos do Rio São Francisco. Nesse sentido, a experiência de outros estados vem sendo buscada como referência.

CIBiogás

A CIBiogás é uma instituição de ciência e tecnologia com foco em inovação, dedicada ao desenvolvimento do biogás como um recurso energético limpo e competitivo, e que visa promover o mercado de energias renováveis. Além disso, oferece serviços personalizados em toda a cadeia de biogás, como identificação de oportunidades de negócios, serviços de laboratório, estruturação de arranjo tecnológico, construção de modelos de negócios, entre outros.

Sergipe celebra Dia da Indústria com geração de oportunidades e ambiente de negócios atrativo

Setor impulsiona desenvolvimento econômico e geração de emprego e renda para os sergipanos

Neste sábado, 25 de maio, é celebrado nacionalmente o Dia da Indústria. Nesta data, o Governo de Sergipe, por meio da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia (Sedetec), reforça a importância do setor para o desenvolvimento econômico e social da população, destacando que a indústria transforma a economia e também a vida dos sergipanos.

Para estimular a instalação de empreendimentos industriais, Sergipe oferece incentivos para empresas, por meio do Programa Sergipano de Desenvolvimento Industrial (PSDI), que é considerado um dos mais atrativos para indústrias no Brasil. O PSDI incentiva cerca de 430 empresas, incluindo aquelas que ainda estão em fase de implantação, gerando mais de 30 mil empregos para os sergipanos.

Um exemplo da transformação que a indústria gera na vida da população é o relatado pelo supervisor de produção Petrúcio José de Lima, que já trabalha no segmento industrial há 17 anos. Ao contar sua experiência, ele considera que a evolução social acompanha o desenvolvimento industrial.

“A indústria, para mim, tem um significado muito grande. Desde os 18 anos que estou na indústria. Ela se desenvolveu bastante e os colaboradores também se desenvolvem nesse crescimento. Eu não me vejo trabalhando em outra coisa. Barulho de máquina, transformação… é algo encantador”, avalia o operário.

Dentro da sua trajetória no setor industrial, Petrúcio trabalha há dez anos na fábrica da Ferrocorte, localizada no Distrito Industrial de Nossa Senhora do Socorro, uma das áreas industriais gerenciadas pelo Governo do Estado na região metropolitana de Aracaju. 

Petrúcio trabalha na unidade fabril desde a sua implantação, realizada através da concessão de incentivos estaduais – fiscal e locacional – do PSDI. Especializada na confecção de materiais de ferro para a construção civil, a Ferrocorte emprega cerca de 70 funcionários diretos.

PSDI

Segundo o empresário Ricardo Alexandre Gois, um dos principais efeitos da concessão de incentivos é o repasse para os produtos nas prateleiras. Ricardo é presidente da indústria de cosméticos DZC, situada no Núcleo Industrial do bairro Santa Maria, em Aracaju, e implantou a fábrica em 2003 por meio dos incentivos fiscal e locacional do PSDI. “O apoio nos dá competitividade, possibilidade de inovar nos produtos, ampliar nossa área de atuação e gerar mais emprego para o estado”, confirma.

O PSDI foi criado em 1991, com o objetivo de incentivar a implantação de novas indústrias e a ampliação daquelas já existentes, com três incentivos: locacional, fiscal e de infraestrutura. O programa é gerenciado pela Sedetec, por intermédio da sua unidade vinculada, a Companhia do Desenvolvimento Econômico de Sergipe (Codise).

O secretário do Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia, Valmor Barbosa, explica cada tipo de incentivo. “Através do PSDI, promovemos um ciclo virtuoso na economia. Oferecemos apoio fiscal, incluindo diferimento do ICMS em importações de bens de capital; apoio locacional, com cessão ou venda de terrenos industriais; e também investimos com apoio em infraestrutura, como sistemas de água e energia, para viabilizar empreendimentos”, ressalta.

Para o presidente da Codise, Ronaldo Guimarães, o programa é essencial para impulsionar o desenvolvimento industrial de Sergipe. “Estamos focados em atrair investimentos e promover o crescimento das indústrias em nosso estado. Nosso objetivo é criar um ambiente propício aos negócios e impulsionar a economia, bem como a geração de emprego e renda para os sergipanos”, afirma.

Oportunidades

Os incentivos concedidos pelo PSDI impactam diretamente na geração de empregos do norte ao sul sergipano. De acordo com o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados do Brasil (Caged), compilado pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), o período de janeiro de 2023 a março de 2024 registrou um saldo positivo na geração de empregos para Sergipe, tendo a atividade industrial como um dos destaques. O quantitativo foi de 491 novos postos de trabalho, com destaque para a indústria têxtil, com 406. O dado, que é analisado pelo Observatório de Sergipe, leva em conta os números mais recentes divulgados pela pesquisa.

A aprovação dos incentivos para as empresas é deliberada pelo Conselho de Desenvolvimento Industrial (CDI), vinculado à Sedetec. Em 2023, o CDI aprovou 24 novas empresas, resultando em um investimento superior a R$ 350 milhões e quase 1.100 novos empregos. Até abril de 2024, 15 empresas já foram aprovadas para receber os incentivos do PSDI, somando um investimento de R$ 880 milhões, com previsão de gerar 1.097 empregos para os sergipanos.

Cenário industrial sergipano

Sergipe possui Distritos e Núcleos Industriais, áreas estrategicamente planejadas para abrigar as indústrias beneficiadas pelo PSDI nos mais variados segmentos, como alimentício, plásticos, têxtil, cimento, calçados, cerâmica e bebidas. Ao todo, são oito Distritos Industriais: dois na capital Aracaju e os demais nos municípios de Estância, Propriá, Boquim, Itabaiana, Simão Dias e Tobias Barreto. Há, ainda, 16 Núcleos Industriais, que se espalham por diversas cidades sergipanas. As áreas são gerenciadas pela Codise.

“Ainda para este ano, está programada a revitalização de dois distritos industriais: Propriá e Estância. Temos também prevista a construção, reforma e ampliação de quatro galpões industriais, por meio da captação de emendas parlamentares. Essas iniciativas visam fornecer mais infraestrutura para as empresas interessadas em se instalar em nosso estado”, finaliza Ronaldo Guimarães.

Origem do Dia da Indústria

A criação desta data, que homenageia um dos setores mais importantes da economia, aconteceu em 1948. O Dia Nacional da Indústria foi escolhido em homenagem ao industrial, engenheiro civil, intelectual, administrador, empresário, escritor e político brasileiro Roberto Simonsen, que faleceu nessa mesma data, há 76 anos. Simonsen foi responsável pela primeira empresa de construção civil do país, além de fazer parte da consolidação do parque industrial do Brasil.

Governo de Sergipe discute projetos de petróleo e gás em reunião no Ministério de Minas e Energia

Audiência com o Ministro Alexandre Silveira pautou a importância do programa Gás para Empregar e do projeto Sergipe Águas Profundas

Impulsionar iniciativas no campo da energia é um dos principais vetores de crescimento econômico para Sergipe. Sob essa perspectiva, a Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia (Sedetec), representando o Governo do Estado, participou de audiência com o Ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira, em companhia do senador Laércio Oliveira. O encontro ocorreu nesta quarta-feira, 22, em Brasília. 

Na ocasião, foram tratados temas como o andamento do projeto Sergipe Águas Profundas, a retomada da produção de fertilizantes nitrogenados no estado, a articulação em torno do programa Gás para Empregar, além da possibilidade de ações para estender a produção do polo Sergipe Águas Rasas. Na oportunidade, o ministro defendeu o cumprimento do plano de investimentos da Petrobras para Sergipe, estimado em 5 bilhões de dólares.

“Falamos sobre a retomada da produção de nitrogenados em Sergipe e a possibilidade de prolongar o prazo de produção do polo Sergipe Águas Rasas, através de operador privado, antes de ser feito o descomissionamento das plataformas”, detalhou o secretário-executivo da Sedetec, Marcelo Menezes.

Durante a audiência, o ministro de Minas e Energia foi convidado para a inauguração do gasoduto de conexão do terminal de Gás Natural Liquefeito (GNL) da Eneva, além da abertura do Sergipe Oil & Gas. A programação ocorre entre os dias 24 a 26 de julho na capital sergipana, atraindo grandes nomes do país no ramo de petróleo e gás. 

“Sergipe é parceiro nas pautas importantes para o desenvolvimento nacional, para que a gente possa combater a desigualdade e gerar emprego e renda de qualidade. A pauta da ampliação da produção de gás e da criação de mais competitividade nos une fortemente, para a gente tornar nossa indústria mais desenvolvida”, finalizou o ministro Alexandre Silveira.

Também integrou a comitiva sergipana em nome do Governo do Estado o presidente da Sergipe Gás (Sergas), José Matos. Além do ministro Alexandre Silveira, também participaram o secretário de Petróleo e Gás, Pietro Mendes, e o assessor Marcelo Weydt, entre outras lideranças.

Fapitec/SE lança editais de fomento à pesquisa e ao empreendedorismo feminino

Parceria firmada com a Secretaria de Estado de Políticas para as Mulheres (SPM) destina mais de R$ 1.390.000,00 em recursos

A Fundação de Apoio à Pesquisa e à Inovação Tecnológica do Estado de Sergipe (Fapitec/SE) torna públicos nesta sexta-feira, 17, os programas ‘Sergipanas Empreendedoras’ (Edital 08/2024) e o ‘Meninas nas Ciências’ (Edital 09/2024). Os editais, que contam com a interveniência da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia (Sedetec), com a parceria da Secretaria de Estado de Políticas para as Mulheres (SPM), objetivam fomentar projetos de extensão voltados para a capacitação empreendedora do público feminino sergipano e despertar potenciais talentos femininos no desenvolvimento de estudos em áreas estratégicas.

O programa de apoio a projetos de extensão para capacitação empreendedora feminina, ‘Sergipanas Empreendedoras’, tem como finalidade estimular e orientar a formalização de negócios liderados por mulheres. Já o edital ‘Meninas nas Ciências’ visa estimular a inserção de meninas e mulheres em atividades científicas e tecnológicas.

“O lançamento desses dois editais é mais uma ação do governo voltada para as sergipanas. Com isso, estamos ampliando as políticas de estímulo ao empreendedorismo e à inclusão produtiva, além de incentivar uma maior participação de mulheres no ambiente científico”, ressaltou a secretária de Políticas para as Mulheres, Danielle Garcia.

“Os investimentos atribuídos a estes segmentos refletem diretamente no desenvolvimento social e econômico do nosso estado. Através da divulgação destes programas, oportunizamos o protagonismo das mulheres nas áreas de ciência, tecnologia e inovação”, explicou o secretário do Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia, Valmor Barbosa.

Recursos financeiros

Com recursos oriundos do Fundo Estadual para o Desenvolvimento Científico e Tecnológico de Sergipe (Funtec), o edital n° 08/2024 destinará um valor global de até R$ 651.750,00. Serão apoiados até dez projetos de extensão, cada um com recursos de R$ 30.000,00 na modalidade de auxílio financeiro ao coordenador. Ainda, o(a) coordenador(a) do projeto aprovado e contratado terá direito a quatro quotas de bolsas na modalidade Iniciação a Extensão (IEx), com valor individual mensal de R$ 700,00, por um período de até 12 meses.

Para o edital n° 09/2024, o montante global viabilizado será de R$ 739.440,00, que será distribuído na contratação de oito projetos com auxílio financeiro à pesquisa, oito bolsistas de Mestrado (GM), oito bolsistas de Iniciação Científica (IC), 16 bolsistas de Apoio Técnico à Pesquisa Nível Superior (ATP NS) e 48 bolsistas de Iniciação Científica Júnior (IC Jr).

Para o diretor-presidente da Fapitec/SE, Alex Garcez, as iniciativas contribuem diretamente para o estímulo do empoderamento e autonomia feminina. “Com o programa ‘Meninas nas Ciências’, visualizamos o desenvolvimento de estudos e projetos em áreas estrategicamente selecionadas como portadoras de futuro e fomentadoras do desenvolvimento socioeconômico feminino”, disse.

Cronograma

De acordo com o cronograma, as propostas poderão ser encaminhadas à Fundação via protocolo externo do e-DOC Sergipe até o dia 21 de junho. A data é válida para ambos os programas. Para consultar mais informações sobre os editais, acesse a aba “editais abertos” no site oficial da Fapitec/SE.

Governo de Sergipe abre portas para investimentos no estado com presença em eventos internacionais

Participação em feiras, workshops e conferências de grande porte faz parte da política de prospecção de negócios do Estado, a exemplo da OTC 2024

Acessar novos mercados, explorar oportunidades de negócios e promover as potencialidades energéticas do estado são alguns dos objetivos do Governo de Sergipe durante a participação em eventos internacionais. Essa busca ativa evidencia o comprometimento em impulsionar o desenvolvimento econômico por meio da prospecção de investimentos, com o propósito de gerar emprego e renda para a população sergipana.

Desde o início da gestão, o Estado, por meio da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia (Sedetec), marca presença em grandes eventos do setor energético e de negócios. Entre os dias 6 e 9 de maio, uma comitiva do Governo de Sergipe participou da Offshore Technology Conference (OTC) 2024, em Houston, estado do Texas, nos Estados Unidos. O evento, reconhecido como o maior do mundo em seu segmento, reúne profissionais do setor energético interessados em trocar informações voltadas ao avanço do conhecimento científico e técnico de recursos para exploração de petróleo offshore. Além do contato com especialistas, investidores e gestores do Brasil e de outros países, o encontro propicia o acesso às tecnologias e equipamentos mais avançados da atualidade.

Durante a viagem, a comitiva também esteve presente no 6º Encontro dos Brasileiros, promovido pela FGV Energia, e na OTC Distinguished Achievement Awards, premiação que homenageia instituições e personalidades com reconhecido trabalho na área. O grupo participou, ainda, da abertura e das atividades do Pavilhão Brasil na OTC, espaço dedicado a disseminar as oportunidades da matriz energética brasileira, com a presença de diversos estados.

“É uma conferência importantíssima, que discute sobre as tecnologias implementadas na produção e exploração de petróleo no mar. Sergipe não poderia de ficar de fora, por todas as suas potencialidades. Nós temos reservas petrolíferas significativas, tanto em terra quanto em mar, como também gás natural. Isso demonstra que o Governo do Estado está cada vez mais buscando parcerias para que, em um futuro próximo, Sergipe esteja com sua produção offshore com valores altamente significativos”, pontuou o secretário da Sedetec, Valmor Barbosa.

Além do secretário da Sedetec, que representou o governador Fábio Mitidieri, participaram da viagem internacional o secretário-executivo da Sedetec, Marcelo Menezes; o presidente da Companhia de Desenvolvimento Econômico de Sergipe (Codise), Ronaldo Guimarães; o diretor-presidente da Sergipe Gás (Sergas), José Matos; e o presidente da Agência Reguladora de Serviços Públicos de Sergipe (Agrese), Luiz Hamilton.

Eventos internacionais

O Governo do Estado e a Sedetec reúnem outras participações em eventos internacionais, como a 51ª edição da Gastech, em Singapura, realizada em setembro de 2023. O evento, que tem alcance mundial, é a maior conferência e exposição integrada para indústrias globais de gás, gás natural liquefeito (GNL) e soluções de baixo carbono. A programação reúne cerca de 40 mil visitantes, mais de mil empresas internacionais expositoras e 20 pavilhões.

Em 2023, o governador Fábio Mitidieri esteve presente na OTC. Na oportunidade, o chefe do Executivo estadual salientou a importância da participação em eventos como parte da política de atração de oportunidades do Governo do Estado. “Nosso governo investe fortemente no ambiente de negócios, na prospecção de investimentos. Ao participar de eventos como esse, apresentamos toda a capacidade operacional e técnica de nosso estado para investidores”, resumiu.

Realizações

O Estado também tem promovido eventos para abrir e continuar diálogos com investidores, tais como o ‘Sergipe Day’. O evento visa apresentar o estado como um destino promissor, com potencial de crescimento e desenvolvimento econômico. A primeira edição foi realizada em São Paulo, em abril de 2023, em parceria com a Federação das Indústrias de São Paulo (Fiesp). A segunda ocorreu no Rio de Janeiro, em março de 2024, por meio da FGV Energia. Ambas tiveram a finalidade de destacar as oportunidades de investimentos em Sergipe, principalmente ligadas ao setor de petróleo e gás.

O Sergipe Oil & Gas (SOG) também faz parte do portfólio do Governo do Estado no setor, contando com a parceria da Sedetec. O evento tem à frente as empresas Brainmarket, Eolus e Austral e planeja fomentar o ciclo de desenvolvimento do segmento de óleo e gás no estado. A edição 2024, que será a primeira em formato de feira, deverá ocorrer de 24 a 26 de julho no Centro de Convenções AM Malls.

Última atualização: 24 de maio de 2024 09:23.

Pular para o conteúdo