13 de setembro de 2017, 10:45

Jucese simplifica abertura de empresas ao unificar Sefaz na Redesim/Agiliza Sergipe


Os empresários, profissionais da Contabilidade e cidadãos sergipanos viveram um marco histórico na tarde desta segunda-feira, 11, com a integração da Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz) ao projeto Rede Nacional para a Simplificação do Registro e da Legalização de Empresas e Negócios (Redesim), que funciona por meio do Portal de Serviços Agiliza Sergipe (www.agiliza.se.gov.br). A ação é coordenada pela Junta Comercial do Estado de Sergipe (Jucese), órgão vinculado à Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia (Sedetec).

A partir de agora, ao constituir uma empresa na Jucese, com algumas exceções, é possível obter a Inscrição Estadual da Sefaz automaticamente através do Portal Agiliza Sergipe, eliminando a obrigação de acessar o site da Secretaria da Fazenda e de se deslocar até um posto de atendimento do órgão para entregar documentos.

A integração oficial da Sefaz ao Agiliza Sergipe ocorreu durante sessão plenária do Colégio de Vogais da Jucese, que contou com a presença do presidente da Junta Comercial, George da Trindade Gois; dos membros do vocalato; do vice-governador de Sergipe, Belivaldo Chagas; do secretário da Sefaz, Josué Modesto; do secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia, José Augusto Carvalho, entre outras diversas autoridades.

Ações para empreendedores:

O vice-governador enalteceu a ação realizada entre a Junta Comercial e a Secretaria da Fazenda: “Essa integração da Sefaz é de extrema importância, pois desburocratiza e facilita a vida de todos num momento de crise, que não está sendo fácil. Um estímulo desse é um exemplo”, afirmou.

Belivaldo Chagas também destacou o trabalho desenvolvido pela Jucese: “Parabenizo o George e todos que fazem a Junta Comercial, em nome do governador Jackson Barreto, por mais essa ação. O George, junto com toda sua equipe, está atento para dar passos mais largos no sentido de agilizar as ações que dizem respeito aos empreendedores”.

Durante a solenidade, George Trindade ressaltou que a entrada da Sefaz na Redesim era um desejo antigo da Jucese, dos empresários, da classe contábil e da própria Secretaria da Fazenda. “O Agiliza permitiu integrar o empreendedor com a Junta Comercial, a Receita Federal, as Prefeituras Municipais, os órgãos estaduais, como a Vigilância Sanitária e agora a Secretaria da Fazenda. É um grande salto que o Governo do Estado está dando”, disse.

Empenho e dedicação:

George Trindade agradeceu a dedicação da Secretaria da Fazenda para que o sonho virasse realidade. “Agradeço a paciência, a perseverança que os técnicos da Sefaz tiveram e a visão empreendedora e dinâmica do secretário Josué. Não é fácil ser simples. Foi uma quebra de paradigma muito grande. Tivemos diversas reuniões”, afirmou.

O secretário da Sefaz ressaltou a importância da Redesim para economia sergipana. “Num momento de crise sempre é preciso incentivar o empreendedorismo. Então, tenho certeza que o Estado vai ganhar muito, pois o objetivo é, justamente, simplificar a abertura de empresas, de negócios”, disse.

“Estou muito orgulhoso com o trabalho desenvolvido pelos nossos colegas da Sefaz, que constituíram um projeto muito grande, e também dou parabéns ao George, pois simplificar não é tão fácil como parece. Quando cheguei à Sefaz percebi que havia este projeto e o coloquei como prioridade”, destacou Josué Modesto.

Mais empregos:

Gestor da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia (Sedetec) – pasta a qual a Jucese é vinculada -, José Augusto, afirmou que a integração da Sefaz ao Agiliza é motivo de orgulho: “Estou muito feliz. Tenho um carinho enorme por esse projeto. Simplificar é dar mais chances de emprego para os sergipanos”, constatou.

Presente na solenidade, o superintendente da Receita Federal – primeiro órgão que aderiu ao Agiliza – na 5ª Região, Francisco Lessa, recebeu com alegria a adesão da Sefaz. “É muito importante para a economia local. As instituições tributárias têm o dever constitucional de trabalhar de forma integrada, intercambiar informações cadastrais”, destacou.

Com informações da Ascom/JUCESE