Sergipe dialoga com empresa que transforma lixo orgânico em fertilizantes, energia e hidrogênio verde para instalação no estado

A perspectiva é que lixo urbano, restos de esgoto e de matadouros sejam processados em pólos na capital e em municípios do interior sergipano

Para dialogar sobre a possibilidade de instalação da BioWatt Energia Verde em Sergipe, gestores da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia (Sedetec) e da Companhia de Desenvolvimento Econômico de Sergipe (Codise) receberam representantes da empresa, nesta quarta-feira, 19. A perspectiva é implantar pólos de processamento de resíduos sólidos em quatro municípios: Aracaju, Cristinápolis, Propriá e Nossa Senhora da Glória; com geração de cerca de 1.800 empregos diretos e indiretos.

O foco da BioWatt é a transformação de resíduos sólidos – lixo urbano, restos de esgoto e de matadouros – em fertilizantes e biogás. O biogás, por sua vez, é transformado em energia para ser injetada na rede elétrica e produção de hidrogênio verde. A empresa prospecta processar 1.200 toneladas de resíduos por dia em polos ligados a Aracaju; 500 toneladas de resíduos por dia em Cristinápolis; 200 toneladas de resíduos por dia em Nossa Senhora da Glória; e 95 toneladas de resíduos por dia e ainda 100 toneladas de biofertilizante por dia em Propriá.

“Sergipe tem um grande potencial na área energética e apresentamos alguns dos nossos diferenciais neste primeiro contato com o executivo da BioWatt. Sem dúvida ele nos trouxe um projeto muito inovador, com ótimas perspectivas para o estado e que temos total interesse. Vamos trabalhar para concretizá-lo”, afirmou o secretário da Sedetec, Valmor Barbosa.

De acordo com o executivo da BioWatt, Luciano Santos Júnior, o investimento nos quatro pólos deve ser de R$ 701.625.770,00. “Sergipe desponta como um atrativo muito grande para os nossos investimentos, que já são desenvolvidos na Bahia e Pernambuco. O Porto de Sergipe é muito atrativo, do ponto de vista técnico, e Sergipe também tem uma Zona de Processamento de Exportação (ZPE) que nos interessa muito, pois vai proporcionar uma gama de reduções tributárias e torna o nosso produto um diferencial fantástico”, destacou.

Para atração de novas indústrias, Sergipe oferece incentivos por meio do Programa Sergipano de Desenvolvimento Industrial (PSDI), como informou o diretor da Codise, Ronaldo Guimarães, durante o encontro. “Nós sempre nos colocamos à disposição das empresas que desejam investir e contribuir para o crescimento do estado. A BioWatt traz uma perspectiva muito positiva para o desenvolvimento tecnológico e econômico, além da geração de empregos e renda para Sergipe”.

Hidrogênio Verde

Durante a reunião, o secretário Valmor Barbosa informou aos executivos da empresa sobre as atividades do Sergipe Parque Tecnológico (SergipeTec) e, em especial, as ações voltadas para a área do Hidrogênio Verde. Assim, dando continuidade à agenda, o grupo de empresários seguiu para o SergipeTec e pôde conhecer a estrutura de laboratórios do Parque, como o Núcleo de Energias Renováveis e Eficiência Energética de Sergipe (Neeres) e o Núcleo de Desenvolvimento Tecnológico Regional (NuTec) – com o centro de prototipagem e modelagem 3D. 

“Fizemos esta visita através de uma indicação do secretário Valmor Barbosa e vimos que o SergipeTec possui laboratórios muito bem equipados e um corpo técnico muito habilitado para as pesquisas. Esperamos fazer acordos comerciais importantes porque o que encontramos aqui já adianta muito os passos”, destacou o executivo da BioWatt, Luciano Santos Júnior.

Foto: Maira Andrade/Ascom Sedetec

Última atualização: 4 de agosto de 2023 09:11.

Pular para o conteúdo