Sergipe Oil & Gas encerra tratando sobre mercado e inovação

Em dois de evento, mais de quinze painéis foram apresentados com múltiplas palestras

O último ciclo de palestras do Sergipe Oil & Gas, na tarde desta quinta-feira, 17, foi marcado pelos painéis sobre estocagem subterrânea; sustentabilidade ambiental, social e governança corporativa no setor e na cadeia de fornecedores de O&G; e inovação no setor. O evento ocorreu no hotel Vidam, em Aracaju, durante os dias 16 e 17 de agosto, e reuniu empresários, representantes da administração direta e indireta, como também agentes envolvidos no setor.

O secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia, Valmor Barbosa, avaliou o encontro com os agentes do setor durante os dois dias de evento como proveitoso. “O evento foi um sucesso onde todos presenciaram o auditório lotado. Muitos profissionais e muitas empresas não conseguiram vir porque as inscrições já estavam esgotadas. Isso demonstra que, a cada ano que passa, os players acreditam no estado de Sergipe, nas potencialidades e no que está sendo discutido, ou seja, Sergipe está dentro do cenário nacional na política do segmento do petróleo e gás”, finalizou.

Palestras

Iniciando as atividades, o painel moderado pelo consultor da BrainMarket, Eduardo Aragon, e com a participação do co-fundador e diretor na Origem Energia, Nathan Biddle, apresentou os investimentos em estocagem de gás natural. Ainda integrando o painel, o presidente da Petrobahia, Thiago Andrade, destacou os desafios do pioneirismo no gás natural liquefeito (GNL) e comentou sobre a parceria com o posto de combustíveis J. Macário, em Lagarto, que será suprido por Gás Natural Veicular (GNV). 

“É um marco para a Petrobahia e para o município. A gente enxerga que Lagarto vai ser um case de sucesso semelhante ao que foi Vitória da Conquista. É uma cidade que já nasce com 396 carros convertidos, algo que a gente não tinha na Bahia, então mostra o potencial efetivamente que se tem para a gente desenvolver esse mercado e essa agenda. Até o final do ano, eu tenho certeza que a gente vai estar aqui fazendo essa agenda de transformação”, informou Thiago sobre o projeto.

Dando continuidade à programação, o gerente Nacional no Brasil na Wood Mackenzie, Pedro Camarota, levou para os participantes presentes uma palestra sobre o ‘Mecanismo para destravar o mercado consumidor e melhorar a competitividade do gás natural’. “Tem muitos desafios que precisam ser equacionados, e hoje trouxemos algumas reflexões para o desenvolvimento do mercado”, apontou o gerente.

ESG no setor

O terceiro painel da tarde focou em sustentabilidade ambiental, social e governança corporativa (ESG) no setor. Moderado pela gerente de sustentabilidade na Eolus, Lívia Ornellas, o painel foi iniciado com a apresentação do gerente de Desenvolvimento de Negócios na Tractebel – Engie Group, Ricardo Fabel, e seguiu com a apresentação do sócio na AC Consultoria, Augusto Cruz, que falou sobre o impacto da agenda ESG na cadeia de valor das empresas de O&G.

“O ESG é um tema que vem do mercado financeiro. Quando a gente fala de sustentabilidade, nós temos múltiplos stakeholders como público-alvo, mas quando a gente fala de ESG, o público-alvo são investidores, então as grandes corporações”, detalhou Augusto Cruz em sua apresentação.

Inovação 

O último painel do ‘Sergipe Oil & Gas’ abordou quatro palestras sobre as inovações no setor. A primeira foi ministrada pelo diretor técnico da Wellcon, Ivaldo Mesquita Ferreira, trazendo o ‘Desafio para atendimento à ANP 46 com Otimização da Perfuração de Poços’. Em seguida, ocorreu a apresentação do diretor da Oxeanbits, Felipe Cabral, que discorreu sobre o  ‘Desenvolvimento de soluções digitais de ativos onshore’. O professor Carlos Martins, da Universidade Federal de Sergipe (UFS), abordou ‘Gestão de Integridade de Ativos’, e, fechando a programação, o diretor-presidente do Instituto de Tecnologia e Pesquisa (ITP), vinculado à Universidade Tiradentes (Unit), Paulo do Eirado, dissertou sobre ‘Ciência e tecnologia: energias em Sergipe’.

“Apresentei o ITP, que está fazendo 25 anos neste ano, com mais de 100 patentes já depositadas, e ao mesmo tempo ainda com uma grande escala de produção científica e tecnológica, especialmente ligada à área de energias, petróleo e gás. Um verdadeiro tesouro de Sergipe e uma forma de poder contribuir, principalmente nesse momento em que pequenas e médias empresas estão entrando nesse mercado”, apresentou Paulo.

Sergipe Oil & Gas

A 2ª edição do ‘Sergipe Oil & Gas’ foi promovida pelas empresas BrainMarket Inteligência de Mercado e Eolus, com correalização do Serviço Brasileiro de Apoio às Micros e Pequenas Empresas de Sergipe (Sebrae) e apoio do Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia (Sedetec). O encontro reuniu diversas personalidades do setor de óleo e gás natural, além de representantes da administração direta e indireta. 

Foto: Ascom/Sedetec

Última atualização: 23 de agosto de 2023 09:14.

Pular para o conteúdo